sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Salah Abdeslam capturado em operação em Bruxelas

Foi capturado o principal suspeito dos atentados de Paris na operação policial que está a decorrer no bairro de Molenbeek, confirmaram fontes policiais à agência France Press. "Apanhámo-lo", confirmou entretanto o ministro da Justiça belga.

Salah Abdeslam

Salah Abdeslam

© Francois Lenoir / Reuters

© Francois Lenoir / Reuters

O Presidente francês, François Hollande, encontra-se no gabinete do primeiro-ministro belga, Charles Michel, para onde se dirigiram depois de participarem num Conselho Europeu, para seguir a operação, e está prevista uma conferência de imprensa para as 19:00 locais (18:00 de Lisboa).

Esta manhã a procuradoria belga confirmou que foram encontradas impressões digitais e ADN do principal suspeito dos ataques de Paris no apartamento alvo da operação antiterrorista de terça-feira em Bruxelas.

Salah Abdeslam é alvo de um mandado de captura internacional por ser um dos suspeitos da organização dos atentados em Paris, em novembro do ano passado, em que morreram 130 pessoas.

EM ATUALIZAÇÃO

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.