sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Abdeslam quer colaborar com as autoridades francesas

Salah Abdeslam, único sobrevivente do grupo que perpetrou os atentados de 13 de novembro em Paris, detido a 18 de março em Bruxelas, quer ir para França e "colaborar com as autoridades francesas", anunciou hoje um dos advogados.

"Apelo a testemunhas", lê-se na nota, que identifica "Abdeslam Salah, nascido a 15 de setembro de 1989, em Bruxelas, e alvo de um mandado de busca".

"Apelo a testemunhas", lê-se na nota, que identifica "Abdeslam Salah, nascido a 15 de setembro de 1989, em Bruxelas, e alvo de um mandado de busca".

Cédric Moisse falava aos jornalistas à saída de uma audiência na câmara do conselho do tribunal de recurso de Bruxelas de análise do mandado de detenção europeu, emitido contra o suspeito pela França, na sequência dos atentados que causaram 130 mortos.

Abdeslam, de 26 anos, não saiu da prisão em Bruges para a audiência, que foi adiada para as 16:00 (15:00 em Lisboa) para dar tempo ao procurador de ouvir o suspeito na prisão, disse Moisse, colaborador de Sven Mary.

"Confirmo que Salah Abdeslam quer ser entregue às autoridades francesas", acrescentou o advogado.

O francês "aceita a execução do mandato de detenção europeu e quer colaborar com as autoridades francesas", afirmou.

O Ministério Público belga não se opõe à entrega de Abdeslam à França, disse à agência noticiosa France Presse um dos porta-vozes da instituição, Eric Van der Sypt.

A decisão da câmara do conselho - jurisdição de instrução que se reúne à porta fechada - deverá ser conhecida até sexta-feira, data em que termina o prazo de 15 dias depois da detenção do suspeito.

Abdeslam foi interrogado, no dia a seguir à detenção, pelos investigadores belgas. Inicialmente, o francês mostrou-se disposto a colaborar, mas, mais tarde, remeteu-se ao silêncio.

Interrogado novamente a 22 de março, logo após os atentados de Bruxelas, Abdeslam recusou fazer qualquer declaração.

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.