sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Abdeslam quer colaborar com as autoridades francesas

Salah Abdeslam, único sobrevivente do grupo que perpetrou os atentados de 13 de novembro em Paris, detido a 18 de março em Bruxelas, quer ir para França e "colaborar com as autoridades francesas", anunciou hoje um dos advogados.

"Apelo a testemunhas", lê-se na nota, que identifica "Abdeslam Salah, nascido a 15 de setembro de 1989, em Bruxelas, e alvo de um mandado de busca".

"Apelo a testemunhas", lê-se na nota, que identifica "Abdeslam Salah, nascido a 15 de setembro de 1989, em Bruxelas, e alvo de um mandado de busca".

Cédric Moisse falava aos jornalistas à saída de uma audiência na câmara do conselho do tribunal de recurso de Bruxelas de análise do mandado de detenção europeu, emitido contra o suspeito pela França, na sequência dos atentados que causaram 130 mortos.

Abdeslam, de 26 anos, não saiu da prisão em Bruges para a audiência, que foi adiada para as 16:00 (15:00 em Lisboa) para dar tempo ao procurador de ouvir o suspeito na prisão, disse Moisse, colaborador de Sven Mary.

"Confirmo que Salah Abdeslam quer ser entregue às autoridades francesas", acrescentou o advogado.

O francês "aceita a execução do mandato de detenção europeu e quer colaborar com as autoridades francesas", afirmou.

O Ministério Público belga não se opõe à entrega de Abdeslam à França, disse à agência noticiosa France Presse um dos porta-vozes da instituição, Eric Van der Sypt.

A decisão da câmara do conselho - jurisdição de instrução que se reúne à porta fechada - deverá ser conhecida até sexta-feira, data em que termina o prazo de 15 dias depois da detenção do suspeito.

Abdeslam foi interrogado, no dia a seguir à detenção, pelos investigadores belgas. Inicialmente, o francês mostrou-se disposto a colaborar, mas, mais tarde, remeteu-se ao silêncio.

Interrogado novamente a 22 de março, logo após os atentados de Bruxelas, Abdeslam recusou fazer qualquer declaração.

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.