sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Suspeito dos ataques em Paris detido pode ser o "homem do chapéu" de Bruxelas

Em atualização

Mohamed Abrini, procurado por suspeitas de estar ligado aos ataques de Paris, foi detido hoje na Bélgica, segundo a televisão pública VRT. O belga de 31 anos estava na lista dos mais procurados na Europa e poderá ser o "homem do chapéu" dos atentados de Bruxelas.

AP

Última atualização às 16:12

A procuradoria belga não confirma e adianta apenas que fez hoje várias buscas e detenções, ligadas aos ataques de Bruxelas, e anunciou que será dada em breve uma conferência de imprensa.

Também a France Press noticia a detenção de Mohamed Abrini, citando fontes policiais.

Abrini terá sido identificado como o quando apareceu num vídeo de vigilância com Salah al-Abdeslam, outro dos suspeitos dos ataques em Paris, onde 130 pessoas morreram e mais de 300 ficaram feridas.

De acordo com a VRT, Mohamed Abrini poderá ser também o terceiro homem do atentado no aeroporto de Bruxelas, o homem que apareceu de chapéu nas imagens divulgadas pelas autoridades.

Abdeslam foi detido há duas semanas em Bruxelas, quatro dias antes dos bombistas suicidas do Daesh atacarem Bruxelas. As duas explosões no aeroporto de Zaventem e numa estação de metro no centro de Bruxelas fizeram 35 mortos e centenas de feridos.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.