sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

França pede entrega de quatro suspeitos dos atentados que estão na Bélgica

A justiça francesa pediu hoje o reencaminhamento de quatro suspeitos formalmente acusados na Bélgica, no caso dos atentados de Paris de 13 de novembro, três deles de ajudar à fuga de Salah Abdeslam, único autor material sobrevivente.

© Gonzalo Fuentes / Reuters

Fontes concordantes citadas pela agência de notícias francesa AFP indicaram que os mandados de prisão europeus, emitidos no fim de abril, são para Mohammed Amri e Hamza Attu, que levaram Salah Abdeslam a Bruxelas algumas horas após os atentados de Paris, e para Ali Ulkadi, que o transportou na capital belga a 14 de novembro.

Foi também emitido um mandado para Mohamed Bakkali, acusado de ter desempenhado o papel de responsável da logística para a célula 'jihadista', precisaram as fontes próximas da investigação.

Os suspeitos devem agora ser notificados dos mandados, para se poder iniciar o processo do seu reencaminhamento para França.

"Tendo em conta a boa cooperação entre a França e a Bélgica nesta investigação, podemos esperar que eles sejam transferidos bastante rapidamente", disse Olivier Morice, que representa cerca de 30 partes civis no caso.

Mohammed Amri, de 27 anos, e Hamza Attu, de 21, foram detidos a 14 de novembro em Molenbeek, periferia de Bruxelas,

Segundo as declarações de Attu, que sofreram alterações ao longo das audições, Salah Abdeslam ter-lhe-á confidenciado que o seu cinto de explosivos não tinha funcionado na noite de 13 de novembro.

Ali Ulkadi, um francês de Molenbeek, de 31 anos, transportou Abdeslam em Bruxelas no dia a seguir aos atentados. Conhecia-o, porque ele era "um dos melhores amigos" do seu irmão mais velho, Brahim, que se fez explodir na esplanada de um bar no leste de Paris, a 13 de novembro.

Quanto a Mohamed Bakkali, de 28 anos, tinha alugado um BMW, identificado muito perto de três casas em Schaerbeek (Bruxelas), Charleroi e Auvelais (sul) e que serviu para preparar os atentados. É igualmente suspeito de ter arrendado dois desses esconderijos.

Salah Abdeslam, entregue a 27 de abril às autoridades francesas, deve ser ouvido pela primeira vez na sexta-feira pelos juízes de instrução franceses no âmbito deste caso.

Os atentados cometidos numa sala de concertos, esplanadas de bares e restaurantes e junto a um estádio de futebol fizeram 130 mortos e centenas de feridos. Foram reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.