sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Advogados abandonam defesa de Salah Abdeslam

Os advogados do principal suspeito dos atentados de Paris em novembro de 2015, Salah Abdeslam, anunciaram hoje que já não o vão defender.

"Decidimos os dois abandonar a sua defesa", disse o advogado Frank Berton, numa entrevista à BFM TV.

"Não achamos que ele vai falar, vai usar o seu direito de permanecer em silêncio", disse Berton numa entrevista conjunta com o colega Sven Mary, sublinhando que "desde o início" afirmaram que se o cliente "ficasse calado" deixariam de o defender.

Principal suspeito dos atentados de Paris, que causaram 130 mortos, Salah Abdeslam está detido em isolamento desde 27 de abril numa prisão no sul de Paris, sob videovigilância constante.

"Quando temos a sensação de estar lá para fazer visitas sociais à prisão, nesse momento uma decisão tem de ser tomada", acrescentou Mary.

Após meses em fuga, Abdeslam foi detido a 18 de março em Molenbeek, um bairro de Bruxelas, na Bélgica. Foi transferido para França sob acusações de terrorismo a 27 de abril.

Os investigadores ainda não conseguiram determinar o exato papel de Abdeslam nos ataques a bares, restaurantes, uma sala de concertos e um estádio em Paris, em novembro passado.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.

  • Dirigente derrotado da Gâmbia concorda em ceder poder

    Mundo

    O ex-presidente e candidato derrotado das eleições na Gâmbia, Yahya Jammeh, concordou em ceder o poder ao novo Presidente do país, empossado na quinta-feira, indicou esta sexta-feira um responsável governamental senegalês.