sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Vítima portuguesa do Bataclan vai ter "última homenagem" em Lisboa

Précilia Correia, uma das vítimas mortais do atentado ao Bataclan a 13 de novembro de 2015, vai ter "uma última homenagem", este sábado, com uma cerimónia no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa, disse à Lusa a mãe da franco-portuguesa.

A jovem de 35 anos foi sepultada no Cemitério dos Prazeres, a 25 de novembro, e vai ser transladada, este sábado, às 16:00, para uma capela oferecida pela Câmara Municipal à família.

"Pedi uma reunião com a presidente da Câmara de Paris, que me recebeu em março e pedi-lhe uma capela. Também fiz o pedido a Hermano Sanches Ruivo, o vereador que se ocupa da comunidade portuguesa. Anne Hidalgo contactou o autarca de Lisboa que me recebeu em abril e ofereceram-me a capela", explicou Patrícia Correia, mãe de Précilia e administradora da associação de vítimas dos atentados de 13 de novembro em Paris.

Patrícia Correia sublinhou que lhe "deixaram imaginar como seria transformada a capela", descrevendo que há uma escultura a representar a Torre Eiffel a tocar guitarra.

"Tirei a cruz que estava em cima da capela e coloquei um pequeno anjo que veio de Aix-en-Provence. Mandei fazer uma escultura a representar a Torre Eiffel que toca guitarra que vai ficar na fachada da capela. Tem uma porta de vidro que vai deixar ver o caixão branco, completamente decorado e assinado por toda a gente e que tem uma Torre Eiffel com o nome dela no meio a ir para a ponte de Lisboa", explicou.

A mãe quis prestar "uma última homenagem" a Précilia, de 35 anos, que não resistiu ao ataque ao Bataclan, assim como o companheiro, de 40 anos, que também perdeu a vida.

"Queria que fosse uma última homenagem que fosse prestada à minha filha e que ficasse na memória porque foi monstruoso o que nos fizeram. Mataram de uma forma tão injusta tantos jovens que estavam a divertir-se e a ouvir música no Bataclan. Perdi duas pessoas, ela e o seu companheiro, é muito difícil viver com isso. Estamos a sobreviver", continuou Patrícia Correia.

Para Précilia, filha de uma francesa e de um português, que "adorava Lisboa, falava perfeitamente português, tinha dupla nacionalidade e muitos amigos em Lisboa", a mãe executou uma última vontade da filha: "Ela disse-me há um ano e meio: Se um dia tiver um acidente, gostava de repousar no Cemitério dos Prazeres em Lisboa. Executei o seu desejo, infelizmente".

Os atentados terroristas de 13 de novembro de 2015, em Paris e Saint-Denis, causaram 130 mortos - 90 dos quais na sala de concertos Bataclan - e mais de 350 feridos.

Lusa

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.