sicnot

Perfil

Atentado em Istambul

Atentado em Istambul

Atentado em Istambul

Aeroporto de Istambul volta a operar após atentado

O aeroporto de Istambul, alvo de um triplo atentado suicida, que fez 36 mortos e mais de uma centena de feridos, voltou a operar, mas ainda são poucos os voos previstos, informa o diário Hürriyet na sua versão digital.

© Osman Orsal / Reuters

Segundo as autoridades turcas, três atacantes abriram fogo na entrada do terminal internacional antes de se fazerem explodir por volta das 22:00 de terça-feira (20:00 em Lisboa), levando à suspensão de todos os voos no aeroporto Atatürk, o maior da Turquia e um dos que tem mais movimentados no mundo.

O primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, que se deslocou ao local, afirmou que o aeroporto voltou a abrir, após um encerramento de aproximadamente cinco horas.

Segundo a informação disponível no portal do aeroporto, a grande maioria dos voos continuam cancelados ou atrasados, embora alguns aviões tenham já aterrado ou estejam a preparar-se para descolar, tanto no terminal internacional como dos voos domésticos.

A televisão NTV confirma que o aeroporto se encontra aberto ao público e prepara o regresso à normalidade.

A maioria dos voos que tinha chegada prevista durante o período do encerramento foi desviada para a cidade de Esmirna, situada a cerca de 300 quilómetros.

A companhia aérea de bandeira turca, a Turkish Airlines, anunciou que altera ou cancela, de forma gratuita, todos os bilhetes de avião emitidos até 31 de julho.

O atentado de terça-feira foi o mais mortífero dos quatro registados na maior cidade da Turquia este ano.

A autoria de dois foi atribuída ao grupo extremista Estado Islâmico e outro foi reivindicado por um grupo curdo. O de terça-feira ainda não foi reivindicado, embora o primeiro-ministro turco tenha indicado que os indícios apontam para o Estado Islâmico.

Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.