sicnot

Perfil

Atentado em Istambul

Atentado em Istambul

Atentado em Istambul

Polícia turca detém 13 suspeitos, entre eles 3 estrangeiros

A polícia turca deteve hoje 13 pessoas, incluindo três estrangeiros, na sequência do triplo atentado suicida que matou 42 pessoas no aeroporto internacional Ataturk de Istambul.

© Murad Sezer / Reuters

A polícia de Istambul efetuou rusgas simultâneas em 16 moradas na cidade, indicou a agência noticiosa Anadolu, sem precisar a nacionalidade dos estrangeiros.

"Hoje cedo, a polícia efetuou rusgas em 16 locais para deter 13 suspeitos de pertencerem ao grupo extremista Daesh, incluindo três estrangeiros", disse um responsável turco, que pediu o anonimato.

A mesma fonte não indicou as nacionalidades dos estrangeiros suspeitos, mas disse "ser provável" que pelo menos um dos bombistas do aeroporto Ataturk fosse estrangeiro.

O jornal Hurriyet identificou um dos três bombistas, que se fizeram explodir no aeroporto mais movimentado da Turquia na terça-feira, como Osman Vadinov, um checheno de origem russa.

Vadinov terá alegadamente entrado na Turquia a partir de Raqa, na Síria, o bastião do Daesh que as autoridades turcas pensam ser responsável pelo ataque. Até agora, os atentados não foram reivindicados.

A Turquia desmantelou uma das células adormecidas do Daesh no país, na sequência de uma série de ataques mortíferos atribuídos aos jihadistas que ocuparam grandes zonas no Iraque e na Síria, até á fronteira turca.

Entretanto, toda a oposição parlamentar turca exigiu a criação de uma comissão de investigação sobre as falhas de segurança no ataque no aeroporto Ataturk, sobre o qual os serviços secretos tinham feito um alerta há dias.

A exigência, formulada pelas três formações opositoras (social-democratas, nacionalistas e pró-curdos), foi travada na quarta-feira à noite pela maioria absoluta do partido no poder, o AKP.

O Hurriyet noticia, na edição de hoje, que os serviços secretos turcos advertiram há 20 dias sobre a possibilidade de um ataque terrorista do Daesh no aeroporto Ataturk.

O partido social-democrata turca lembrou, ao pedir a investigação na quarta-feira, que no ano passado ocorreram 15 ataques bombistas, nos quais morreram 300 civis e dois mil ficaram feridos.

O primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, recusou na quarta-feira a existência de quaisquer erros nos sistemas de vigilância.

"Os terroristas dispararam contra o pessoal de segurança na entrada, uma vez que não conseguiram passar pelos sistemas de controlo. Um deles acionou os explosivos no exterior, enquanto os outros aproveitaram o pânico durante o tiroteio para entrar [no aeroporto] onde se fizeram explodir", explicou.

Yildirim reconheceu que este ataque mostra a necessidade de reforçar os sistemas de segurança nos aeroportos.

Lusa

  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.