sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Governo português repudia e condena ataque em França

O Governo português "repudia e condena veementemente" o atentado ocorrido quinta-feira à noite em Nice, França, e o primeiro-ministro, António Costa, já enviou mensagens de condolências ao Presidente francês, François Hollande, e ao seu homólogo, Manuel Valls.

© Eric Gaillard / Reuters

Num comunicado do Governo português, assinado pelo primeiro-ministro, António Costa, o executivo "repudia e condena veementemente este atentado que, mais uma vez, ataca a França e todos os europeus".

"Lamentamos as vítimas e manifestamos total solidariedade para com França e os franceses nesta luta contra o terrorismo. A embaixada e consulados portugueses estão a trabalhar com autoridades francesas e disponíveis para ajudar todos os que necessitem", refere-se no mesmo comunicado.

Nesta nota salienta-se também que "Portugal sofre com a França neste dia 14 de julho, dia nacional da França". "Todos partilhamos os seus valores: Liberdade, igualdade, fraternidade", acrescenta-se.

As autoridades francesas elevaram já para pelo menos 60 mortos e mais de 100 feridos o número de vítimas em resultado do embate de um camião contra uma multidão esta noite em Nice, sul de França.

Um camião branco atingiu na noite de quinta-feira uma multidão em Nice, na avenida marginal da cidade, a Promenade des Anglais, quando as pessoas assistiam a um fogo-de-artifício para celebrar o dia nacional de França.

O condutor do camião foi abatido pela polícia.

As autoridades francesas consideram estar perante um atentado terrorista e o Presidente da França, François Hollande, vai reunir o gabinete de crise.

Este atentado ocorreu no dia nacional de França, em que se celebra a Tomada da Bastilha, evento histórico que marcou o início da Revolução Francesa em 1789.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.