sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Hollande regressa a Paris para reunir célula de crise

O Presidente francês, François Hollande, regressou hoje a Paris, proveniente de Avignon, para se juntar à célula de crise, informou a Presidência francesa, na sequência do atentado, em Nice, que fez pelo menos 30 mortos.

© Eric Gaillard / Reuters

"O Presidente vai reunir-se com o primeiro-ministro (Manuel Valls) e o ministro do Interior (Bernard Cazeneuve)" no Ministério do Interior, informou a Presidência francesa.

O chefe de Estado francês tinha hoje afirmado, em entrevista, que o estado de emergência declarado após os atentados terroristas de 13 de novembro em Paris iria ser levantado até ao final deste mês, porque houve um reforço da lei de segurança.

Os atentados terroristas de 13 de novembro em Paris, provocaram quase 140 mortos e centenas de feridos.

Um camião embateu hoje contra uma multidão em Nice, no sul de França, que assistia a um fogo-de-artifício por ocasião do dia da Bastilha, provocando pelo menos 30 mortos e 100 de feridos.

O condutor do camião foi abatido pelas forças de segurança, disse o subdelegado do Governo para a região, Sébastien Humbert.

As pessoas foram aconselhadas a permanecerem em casa.

O atentado ocorreu na promenade des Anglais, um local turístico da cidade e um importante perímetro de segurança foi levantado no local.

O camião, branco, embateu com toda a velocidade contra a multidão, provocando um movimento de pânico, afirmaram jornalistas no local.

Várias ambulâncias estão no local e houve um reforço das forças de segurança e militares.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.