sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Governo espanhol convoca reunião para avaliar ameaça terrorista

O ministro do Interior espanhol, Jorge Fernández Díaz, convocou uma reunião de urgência para avaliar a ameaça terrorista, depois do ataque perpetrado em Nice, no sul de França, que provocou pelo menos 70 mortos e dezenas de feridos.

Ciaran Fahey

Fontes do Ministério do Interior espanhol referiram que o ministro convocou os responsáveis máximos pela luta contra o terrorismo das forças de segurança e do Centro de Inteligência Contra o Terrorismo e Crime Organizado para a reunião, a realizar na sexta-feira de manhã.

A reunião visa analisar a ameaça terrorista e o nível de risco de um possível atentado em Espanha.

Um camião atingiu na quinta-feira à noite uma multidão em Nice, França, na Promenade des Anglais, quando assistiam a um fogo-de-artifício para celebrar o dia de França.

Há informação de pelo menos 70 mortos e uma centena de feridos, segundo a polícia e a câmara da cidade. O condutor do camião foi abatido pela polícia.

As autoridades francesas já consideraram este ataque um atentado e o Presidente da França, François Hollande, vai reunir o gabinete de crise.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.