sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Grau de ameaça terrorista em Portugal mantém-se moderado

O grau de ameaça terrorista em Portugal mantém-se moderado, não sofrendo alterações, apesar do ataque de quinta-feira em Nice, anunciou hoje a secretária-Geral do Sistema de Segurança Interna, Helena Fazenda.

Em comunicado, Helena Fazenda adianta que as forças e serviços de segurança continuam a manter "o reforço da vigilância e segurança em áreas e locais de maior concentração de pessoas".

A secretária-geral do Sistema de Segurança Interna sublinha que todas as foças e serviços de segurança que integram a Unidade de Coordenação Antiterrorismo "estão a trabalhar em completa articulação e a acompanhar os acontecimentos registados em Nice, mantendo contacto com as suas congéneres e recolhendo todos os dados necessários à sua avaliação".

"Portugal não alterou o grau de ameaça, mantendo-se moderado", refere o comunicado.

Um camião atingiu na quinta-feira à noite uma multidão em Nice, França, na Promenade des Anglais, quando decorria um fogo de artifício para celebrar o dia de França.

O último balanço das autoridades francesas aponta para 84 mortos e uma centena de feridos, 18 dos quais continuam em estado considerado crítico. O condutor do camião foi abatido pela polícia.

As autoridades francesas já consideraram estar perante um atentado e o Presidente da França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais três meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado. França decretou luto nacional de três dias.

A autoria do ataque ainda não foi reivindicada.


Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15