sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Mariano Rajoy condena ataque "execrável" e Itália reforça fronteiras

O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, condenou hoje o "atentado execrável" em Nice, sul de França, na quinta-feira, e a Itália anunciou o reforço dos controlos fronteiriços.

© Andrea Comas / Reuters

As autoridades italianas reforçaram os controlos nas fronteiras com França depois do atentado em Nice, em que morreram pelo menos 84 pessoas, informou o Ministério do Interior de Itália.

"Controlos reforçados em todos os três acessos terrestres e no ferroviário em #Ventimiglia. Os nossos corpos de segurança estão no terreno", escreveu o ministro Angelino Alfano, no Twitter.

Foi também no Twitter que o presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, apresentou hoje as suas condolências ao povo francês pelo "atentado execrável" em Nice.

O atentado em Nice, sul de França, na quinta-feira à noite, fez pelo menos 84 mortos e 18 feridos continuam em estado considerado crítico, segundo o balanço mais recente do Governo francês.

Um homem lançou um camião sobre uma multidão na avenida marginal da cidade de Nice, a Promenade des Anglais, que na quinta-feira assistia a um fogo-de-artifício para celebrar o dia nacional de França.

As autoridades francesas consideram estar perante um atentado terrorista e o Presidente da França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais três meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado.

A autoria do ataque ainda não foi reivindicada.

O condutor do camião disparou várias vezes antes de ser abatido pela polícia, disse o presidente da região de Provence-Alpes-Cote d'Azur, Christian Estrosi.

Por outro lado, uma fonte próxima da investigação, citada pela agência noticiosa AFP, indicou que foi encontrada uma granada "inoperacional" no interior do camião de 19 toneladas, a par com "uma série de falsas caçadeiras".

Lusa

  • Assalto à base militar de Tancos
    0:42

    País

    Cerca de uma centena de granadas e várias munições foram roubadas dos paióis da base militar de Tancos. A Polícia Judiciária Militar já está a investigar.

  • Detido antigo diretor regional do BES na Madeira

    Queda do BES

    Foi detido o antigo diretor do Banco Espírito Santo da Madeira, no âmbito do chamado processo ao Universo GES. João Alexandre Silva tinha sido também o representante do BES na Venezuela, onde a instituição portuguesa abriu várias agências em diversas cidades e tinha cerca de 7600 clientes domiciliados.

    Notícia SIC

  • Couves, arroz integral e bróculos biológicos com pesticidas sintéticos
    2:29
  • ASAE apreende leite com água oxigenada para fabrico de queijo

    Economia

    A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu leite com água oxigenada, destinado ao fabrico de queijo. As investigações decorreram nos últimos dois meses e foram dirigidas a vários produtores de leite. As investigações iniciaram-se com a deteção de uma viatura para transporte do leite sem qualquer sistema de refrigeração.

  • Só 40% das multas por falta de limpeza dos terrenos foram cobradas em 2016
    1:43

    País

    Este ano, a Guarda Nacional Republicana já autuou mais de 660 proprietários de terrenos, que não cumpriram as regras de prevenção e proteção das florestas contra incêndios, sobretudo as de limpeza. Em 2016, das mais de duas mil multas passadas pela GNR, só 40% foram cobradas. Relativamente a este ano, apenas um terço das multas foram pagas.

  • Porto Design Factory: um lava-louças com tecnologia ultrassom e muitas outras coisas
    1:45
  • Jovens participam na maior competição nacional de aplicações
    2:10

    País

    O presente e o futuro passam cada vez mais pelas novas tecnologias, sobretudo as aplicações. Alunos de cerca de 100 escolas estão a participar na terceira edição da Apps For Good, a maior competição nacional de aplicações desenvolvidas por jovens, que decorre em Matosinhos.

  • O iPhone faz 10 anos
    2:01
  • Comissão Europeia adota plano contra resistência a antibióticos

    Mundo

    A Comissão Europeia adotou, hoje, um plano para combater a resistência aos antibióticos, uma ameaça que mata anualmente 25 mil pessoas na União Europeia (UE) e custa 1,5 mil milhões de euros. Em paralelo ao plano, apresenta ainda regras para um "uso prudente de antibióticos".