sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Mundo do desporto homenageia vítimas de Nice

Desportistas de várias modalidades condenaram a uma só voz o atentado desta noite em Nice, sul de França, que matou pelo menos 84 pessoas.

© Juan Medina / Reuters

No caso de Portugal, o Futebol Clube do Porto e o Sport Lisboa e Benfica partilharam mensagens de solidariedade nas redes sociais, ambas acompanhadas do hashtag #PrayforNice.

"A barbárie nunca vencerá a liberdade. O FC Porto associa-se à dor de todas as vítimas do ataque de Nice" e "O SL Benfica manifesta o mais profundo pesar pelas vítimas e toda a solidariedade com o povo francês" foram as mensagens dos dois clubes portugueses.

O Real Madrid, campeão europeu de futebol, também expressou as suas condolências e solidariedade para com o povo francês.

"Choque e pesar depois do ataque em Nice. Todo o nosso amor e afeição para os familiares e amigos das vítimas", publicou por sua vez o Barcelona nas redes sociais.

Hoje de manhã, a organização da Volta à França em bicicleta declarou luto e homenageou as vítimas com um minuto de silêncio antes do início da 13.ª etapa da prova, para a qual as medidas de segurança foram reforçadas.

Um outro tributo em silêncio vai ser feito no final da prova, em La Caverne du Pont d'Arc.

A Volta a França em vela começou hoje com um minuto de silêncio em Roscoff, no Reino Unido e vai terminar a 31 de julho em Nice.

Os golfistas do campo Royal Troon, sudeste de Glasgow, na Escócia estão a usar fitas pretas nos bonés para a segunda volta do Open Championship.

O atentado desta noite também afetou os quartos-de-final de ténis da Taça Davis.

"Acordámos tristes. Estamos todos muito afetados", disse Yannick Noah, capitão da seleção francesa na Taça Davis, antes da prova disputada por França e República Checa, na cidade checa de Trinec.

O espanhol Rafael Nadal escreveu uma publicação em francês, em forma de tributo: "Ouvi as notícias e estou horrorizado com o que aconteceu em Nice. Apoio ao povo francês, a todas as vítimas e às suas famílias".

Um camião atingiu na quinta-feira à noite uma multidão em Nice, França, na Promenade des Anglais, quando decorria um fogo-de-artifício para celebrar o dia de França.

O último balanço das autoridades francesas aponta para 84 mortos e uma centena de feridos, 18 dos quais continuam em estado considerado crítico. O condutor do camião foi abatido pela polícia.

As autoridades francesas já consideraram estar perante um atentado e o Presidente da França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais três meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado. França decretou luto nacional de três dias.

A autoria do ataque ainda não foi reivindicada.

Lusa

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31