sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Município de Lisboa com bandeira a meia haste

A Câmara de Lisboa vai ter, entre hoje e domingo, a bandeira do município colocada a meia haste em "profunda solidariedade" com as vítimas do atentado de quinta-feira à noite em Nice, França, foi anunciado.

"Num gesto solidário, unindo as duas cidades e em homenagem às vítimas inocentes, o município de Lisboa coloca durante três dias a sua bandeira a meia haste nos edifícios dos Paços do Concelho e do Campo Grande", divulgou a autarquia em comunicado.

Citado na mesma nota, o presidente da câmara, Fernando Medina (PS), salienta que "Lisboa encontra-se unida" a Paris na "determinação em vencer este horror arbitrário e sem rosto que é o terrorismo".

O comunicado adianta que "a profunda persistência e união à volta dos valores celebrados no Dia da Bastilha, como a Igualdade, Liberdade e Fraternidade, é garantia mais forte que a liberdade vencerá sempre a barbárie".

Um camião atingiu na quinta-feira à noite uma multidão em Nice, na Promenade des Anglais, quando decorria um fogo de artifício para celebrar o dia de França.

O último balanço das autoridades francesas aponta para 84 mortos e uma centena de feridos, 18 dos quais continuam em estado considerado crítico. O condutor do camião foi abatido pela polícia.

As autoridades francesas já consideraram estar perante um atentado e o Presidente da França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais três meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado. França decretou luto nacional de três dias.

A autoria do ataque ainda não foi reivindicada.

Lusa

  • Presidente da IPSS "O Sonho" garante que vai demitir-se
    0:57

    País

    A PJ de Setúbal fez esta sexta-feira buscas em três instituições de solidariedade social e em casas particulares ligadas à IPSS "O Sonho", por suspeitas de peculato de uso, fraude na obtenção de subsídios e falsificação de documentos. O presidente da associação nega as suspeitas e diz que está de "consciência tranquila". Florival Cardoso, que é o principal visado na investigação, fala sobre uma "caça às bruxas" e garante que vai demitir-se, porque considera que está a ser cometida uma "enorme injustiça".

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00