sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Presidência da UE condena "ataque hediondo"

O primeiro-ministro da Eslováquia, país que assegura atualmente a a presidência semestral rotativa da União Europeia, condenou hoje o atentado de Nice, que classificou como um "ataque terrorista hediondo".

© Vincent Kessler / Reuters

"Estou muito triste por todas as vítimas e todas as pessoas feridas neste ataque terrorista hediondo", afirmou Robert Fico, numa declaração publicada no sítio de Internet do Governo eslovaco. O chefe de Governo está atualmente na Mongólia para a cimeira Ásia-Europa, assim como os presidentes da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e do Conselho Europeu, Donald Tusk.

Expressando a sua "solidariedade com França", Fico aponta ainda na sua curta declaração que este novo evento terrorista irá certamente voltar a marcar a agenda política não só europeia como também mundial.

Um camião atingiu na quinta-feira à noite uma multidão em Nice, França, na Promenade des Anglais, quando decorria um fogo-de-artifício para celebrar o dia da Bastilha.

O último balanço aponta para 84 mortos e uma centena de feridos, 18 dos quais continuam em estado considerado crítico, segundo o balanço mais recente das autoridades francesas. O condutor do camião foi abatido pela polícia.

As autoridades francesas já consideraram estar perante um atentado e o Presidente de França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais três meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado.

Os serviços de segurança franceses identificaram o motorista do camião como um cidadão franco-tunisino de 31 anos, residente na cidade.

A autoria do ataque ainda não foi reivindicada.

Com Lusa

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".