sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Hollande cancela parte da ronda europeia, mas mantém Portugal

O presidente francês, François Hollande, cancelou parte da digressão europeia prevista para discutir o Brexit, na sequência do atentado que matou 84 pessoas em Nice, mas mantém a visita a Portugal, informou hoje a presidência francesa.

© Eric Gaillard / Reuters

O chefe de Estado não viajará para a Áustria, a Eslováquia e a República Checa na quarta-feira.

No entanto, manterá a visita a Portugal na terça-feira e à Irlanda na quinta-feira, como planeado.

No seu programa inicial, anunciado antes do atentado de Nice, o presidente francês deveria discutir com os países a saída do Reino Unido da União Europeia.

Após o referendo que ditou a saída do Reino Unido, no mês passado, Hollande, a chanceler Angela Merkel e o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, disseram querer dar um "novo ímpeto" ao bloco, particularmente nas áreas da "defesa, crescimento, emprego e competitividade".

Na quinta-feira à noite, um camião avançou durante dois quilómetros sobre as pessoas que estavam na Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses) a assistir ao fogo-de-artifício para celebrar o dia de França.

O atentado, que segundo o último balanço fez 84 mortos e 202 feridos, já foi reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Entre as vítimas mortais contam-se "dez crianças e adolescentes", afirmou François Mollins, procurador de Paris responsável pela secção antiterrorista do ministério público francês.

Das 202 pessoas que ficaram feridas, 52 estão entre a vida e a morte, precisou o magistrado.

Pelo menos um cidadão português ficou ferido no ataque, confirmou o Governo português.

O condutor do camião foi abatido pela polícia.

Lusa

  • Fãs de Bruno Mars passaram a noite ao relento
    2:35
  • Comandante da Proteção Civil confiante nos meios de combate aos incêndios
    1:56

    País

    Depois das falhas apontadas ao sistema de comunicações SIRESP durante os incêndios do ano passado, o cComandante operacional da Proteção Civil diz que não há meios de comunicação infalíveis. Duarte Costa acredita que este verão será mais calmo do que anterior e contabiliza já mais de 2000 incêndios desde maio que não foram notícia.