sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Ministro francês diz que autor do ataque em Nice radicalizou-se muito rapidamente

O ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, disse hoje que o autor do atentado de Nice "parece ter sido radicalizado muito rapidamente", e o presidente Hollande apelou à unidade nacional depois do ataque que fez 84 mortos.

FRANCK FERNANDES

O ministro Bernard Cazeneuve declarou hoje que o autor do atentado de Nice, já reivindicado pelo Daesh, "parece ter sido radicalizado muito rapidamente" e referiu que este foi um atentado "de um tipo novo" que "demonstra a dificuldade de luta contra o terrorismo".

O tunisino Mohamed Lahouaiej-Bouhlel, que provocou a morte de 84 pessoas quando conduziu um camião contra uma multidão em Nice que assistia ao fogo de artifício do dia nacional de França, "não era conhecido dos serviços secretos", disse Cazeneuve.

O ministro do Interior francês acrescentou que agora as pessoas "sensíveis à mensagem do Daesh participam em ações extremamente violentas sem terem participado em combates ou receberem treino".

Também hoje o presidente François Hollande apelou à unidade nacional, numa mensagem enviada aos ministros, citada por um porta-voz.

"Estamos num tempo em que, e testemunhámo-lo, existe uma tentação para dividir o país. Confrontadas com essas tentações, com esse risco, temos de apelar à união e coesão do país", disse o porta-voz Stephane Le Foll, citando a mensagem.

Na quinta-feira à noite, um camião avançou durante dois quilómetros sobre uma multidão na Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses), em Nice, que estava a assistir ao fogo-de-artifício para celebrar o dia de França.

O último balanço das autoridades francesas aponta para 84 mortos e 202 feridos. Pelo menos um cidadão português ficou ferido no ataque, confirmou o Governo.

O condutor do camião foi abatido pela polícia.

As autoridades francesas consideraram estar-se perante um atentado e o Presidente da França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais três meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado.

O Daesh reclamou hoje a autoria do atentado.

Com Lusa

  • Ambiente e direitos humanos dominam discurso de Costa na ONU
    2:03

    Mundo

    António Costa defendeu uma diplomacia pela paz. O primeiro-ministro português saiu em defesa da língua portuguesa e da presença do Brasil e da Índia no Conselho de Segurança das Nações Unidas. No discurso na Assembleia Geral da ONU, Costa salientou também o compromisso do país em relação ao multilateralismo e às questões ambientais.

  • "Atrás das Câmaras" em Fátima
    2:48
  • "Só tive tempo de avisar o meu sogro e o meu marido e disse: corram!"
    2:17
  • Furacão Maria volta a ganhar força

    Mundo

    Apesar de ter perdido intensidade, após a passagem por Porto Rico, onde deixou um rasto de destruição, Maria voltou a ganhar força, é agora um furacão de categoria 3. Está a afetar a zona norte de Punta Cana, na República Dominicana com ventos que atingem os 90 km/há e move-se para o noroeste.

  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.