sicnot

Perfil

Atentado em Nice

Autor do atentado de Nice esteve duas vezes no terreno para preparar ataque

O autor do atentado de Nice (sudeste de França), o tunisino Mohamed Lahouaiej-Bouhlel, esteve por duas vezes no local do ataque antes de o concretizar, para se inteirar da forma como o poderia executar, indicaram hoje fontes oficiais.

© Eric Gaillard / Reuters

Segundo a fonte, várias testemunhas deram conta de que Lahouaiej-Bouhlel se deslocou ao local na véspera e antevéspera do ataque com o camião que provocou, a 14 deste mês, 84 mortos e mais de 200 feridos na Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses), em Nice.

Entre as centenas de testemunhas já ouvidas pelos investigadores, prosseguiu a fonte, muitas deram conta da religiosidade do autor do atentado, entretanto reivindicado pelo Daesh, indicando também tratar-se de uma pessoa com um perfil desequilibrado, o que era até gora desconhecido dos serviços secretos franceses.

As autoridades francesas têm avançado que o atacante se radicalizou "muito rapidamente" e que vários familiares e amigos indicaram que Lahouaiej-Bouhlel fumava e bebia e que nunca tinha frequentado uma mesquita.

Desta forma, o perfil do autor do atentado começa a definir-se e as novas indicações acabam por pôr em causa a eficácia francesa na luta contra o terrorismo.

Segundo testemunhos dos vizinhos de Lahouaiej-Bouhlel, apresentado pelo Daesh como "um soldado do Estado Islâmico", além de "desequilibrado", eram frequentes as "crises" com a família.

Na quinta-feira à noite, um camião avançou durante dois quilómetros sobre uma multidão que estava na Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses), em Nice, a assistir ao fogo-de-artifício para celebrar o dia de França.

O último balanço das autoridades francesas aponta para 84 mortos e mais de 200 feridos. Pelo menos um cidadão português ficou ferido no ataque, confirmou o Governo.

O condutor do camião foi abatido pela polícia.

As autoridades francesas consideraram estar-se perante um atentado e o Presidente da França, François Hollande, anunciou o prolongamento por mais três meses do estado de emergência que vigora no país desde o ano passado.

Com Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59