sicnot

Perfil

Atentado em Nice

"Bastille Day" pode ser retirado de exibição das salas de cinema francesas

A distribuidora de filmes francesa Studiocanal perguntou aos cinemas franceses se desejam retirar de exibição o "thriller" "Bastille Day" (Dia da Bastilha), que conta a história do planeamento de um ataque terrorista a França na véspera do dia nacional. Veja em baixo o trailer do filme.

"Bastille Day" conta a história do planeamento de um ataque terrorista a França na véspera do dia nacional

"Bastille Day" conta a história do planeamento de um ataque terrorista a França na véspera do dia nacional

O filme estreou em 237 salas de cinema francesas justamente na véspera do Dia Nacional de França, país que assistiu no próprio dia das celebrações ao atentado com um camião em Nice (sudeste), que provocou 84 mortos e mais de 200 feridos.

O "trailer" do filme tornou-se ainda mais arrepiante sobretudo depois do ataque perpetrado pelo tunisino Mohamed Lahouaiej-Bouhlel, que avançou com o camião para a Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses), quando centenas de pessoas assistiam ao fogo-de-artifício alusivo às celebrações.

"Perguntámos aos responsáveis pelas salas de cinema se queriam retirar o filme de exibição, uma vez que alguns aspetos do Bastille Day não estão em linha com a disposição nacional", disse uma porta-voz do Studiocanal.

O filme é uma coprodução francesa, britânica e norte-americana e conta a história de uma jovem francesa que está a preparar um ataque na véspera do Dia da Bastilha e de um agente da CIA, desempenhado pelo ator Idriss Elba, que é enviado para Paris para a desmascarar.

Além de França, o filme já estreou também em salas da Alemanha, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia.

Curioso é o facto de o filme ter sido publicitado com insistência em todo o país, quer na televisão, quer com cartazes nas ruas, nas estações de metro e nas traseiras dos autocarros de passageiros.

Sexta-feira, no dia seguinte ao ataque, porém, toda a publicidade foi retirada.

Com Lusa

  • Presidente do Tondela diz que clube foi humilhado
    1:26

    Desporto

    O presidente do Tondela participou esta segunda-feira na conferência de imprensa após o jogo da 23.ª jornada da I Liga com o Sporting. Gilberto Coimbra criticou o árbitro do encontro João Capela, e diz que o tempo de compensação dado a mais foi por uma falta que não foi assinalada sobre um jogador do Tondela, Bruno Monteiro.

  • Último golo do Sporting ao Tondela "é legal e limpinho" 
    0:41

    Desporto

    Jorge Jesus entende que a vitória desta segunda-feira do Sporting frente ao Tondela não merece contestação e destaca o facto de o árbitro ter avisado os jogadores que iria prolongar o tempo extra. Para o treinador dos leões, o golo no minuto 99' é legal. 

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC