sicnot

Perfil

Autárquicas 2017

Autárquicas 2017

Autárquicas 2017

Medina garante que tem vida "totalmente transparente"

O candidato socialista à presidência da Câmara de Lisboa e atual presidente do município, Fernando Medina, garantiu hoje que cumpriu "escrupulosamente" as obrigações legais relativamente à entrega da declaração de rendimentos ao Tribunal Constitucional, afirmando que foi "totalmente transparente".

"Entreguei uma declaração ao Tribunal Constitucional informando de uma aquisição que estava a fazer, um contrato promessa. Aliás, tive a atenção de ceder a declaração e de ir muito mais além do que é pedido, do que a lei obriga, que é explicar a forma como essa aquisição seria financiada, no meu entender isso é suficiente do ponto de vista das obrigações legais", indicou aos jornalistas o autarca Fernando Medina, à margem da apresentação da Comissão de Honra da sua candidatura à Câmara de Lisboa, presidida pelo fadista Carlos do Carmo.

O Observador noticiou hoje que Fernando Medina não declarou ao Tribunal Constitucional ser proprietário de um duplex no centro de Lisboa que adquiriu a 27 de setembro de 2016 por 645 mil euros, tendo apenas informado do pagamento de um sinal de compra de 220 mil euros.

Para o autarca, esta é "uma questão que é rapidamente ultrapassável", uma vez que faltam poucos dias para entregar uma nova declaração ao Tribunal Constitucional referente ao fim do mandato na Câmara de Lisboa.

"Todas essas questões ficarão sanadas e ficarão explícitas para aqueles que têm dúvidas", reforçou o candidato socialista à presidência da Câmara de Lisboa.

Ainda assim, Fernando Medina reiterou que foi "escrupuloso no cumprimento das obrigações" legais, advogando que tem uma vida "totalmente transparente", uma vez que "está tudo nas declarações entregues" ao Tribunal Constitucional.

"Está declarada a aquisição da casa, a forma como ela é financiada, a forma aliás de entrada do valor da casa. Está lá muito mais do que a lei obriga", reforçou o autarca, assumindo "um compromisso de transparência".

De acordo com o candidato socialista, até ao momento não lhe foi solicitada qualquer retificação à declaração de rendimentos entregue em agosto ao Tribunal Constitucional.

"Não tenho nada a esconder sobre isso. A aquisição que fiz, fiz o meu melhor. Mal tive o compromisso relativamente aquilo que ia ser a aquisição do imóvel procedi a essa inscrição", referiu Fernando Medina, frisando que fez "o melhor do cumprimento da lei".

Nesta candidatura denominada "Lisboa precisa de todos", o PS conta com o apoio do partido Livre e com os movimentos independentes Cidadãos por Lisboa e Lisboa é Muita Gente.

Como adversários nestas eleições autárquicas, marcadas para 1 de outubro, Fernando Medina (PS) terá Assunção Cristas (CDS-PP), João Ferreira (CDU), Ricardo Robles (BE), Teresa Leal Coelho (PSD), Inês Sousa Real (PAN), Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!), Carlos Teixeira (independente apoiado pelo PDR e JPP), António Arruda (PURP), José Pinto-Coelho (PNR), Amândio Madaleno (PTP) e Luís Júdice (PCTP-MRPP).

Questionada sobre o assunto à margem de um almoço debate que decorreu hoje na zona do Saldanha, a candidata do PSD à Câmara de Lisboa mostrou-se convicta de que "Fernando Medina tem uma visão da sociedade também na defesa da transparência e do escrutínio".

Por isso, continuou, "com certeza que o doutor Fernando Medina, o presidente da Câmara de Lisboa, estará em condições para dar todas as explicações que lhe foram pedidas".

Quanto a mais comentários sobre o assunto, Teresa Leal Coelho foi taxativa: "Eu não alimento esse tipo de polémicas relativamente a adversários e muito menos a três semanas das eleições".

Lusa

  • Medina não declarou compra de apartamento de 645 mil euros
    2:13

    País

    O presidente da Câmara Municipal de Lisboa não declarou a compra de um apartamento no valor de 645 mil euros ao Tribunal Constitucional. Segundo o Observador, Fernando Medina declarou o pagamento de um sinal de 220 mil euros, mas não atualizou a declaração de rendimentos quando efetivou a compra do imóvel.

  • UGT reivindica que salário mínimo ultrapasse os 600€
    0:26

    Economia

    O secretário-geral da UGT reivindica que até 2019 o salário mínimo nacional ultrapasse os 600 euros. Este sábado, num congresso distrital na Guarda, Carlos Silva considerou que o Governo tem condições para ir mais além e voltou a defender que para o próximo ano o patamar mínimo para a negociação deve ser os 585 euros.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Franceses em protesto contra reformas de Macron
    1:04
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.

  • Tony Carreira em Paris com sala cheia
    2:36

    Cultura

    O cantor Tony Carreira actuou ontem em Paris e teve sala cheia a aplaudir os temas que o tornaram conhecido há quase 30 anos. As recentes acusações de plágio não parecem afectar a popularidade do artista, que vai continuar em tournée. A Sic acompanhou o artista neste concerto.