sicnot

Perfil

Autárquicas 2017

Negócio com casa de Fernando Medina sob investigação

Negócio com casa de Fernando Medina sob investigação

O Ministério Público está a investigar a compra de uma casa pelo presidente da câmara de Lisboa Fernando Medina. A investigação foi aberta em agosto, depois de uma denúncia anónima.

No fim de agosto alguém apresentou uma queixa anónima na Procuradoria-Geral da República contra Fernando Medina. O queixa foi enviada para o DIAP de Lisboa que, que com os dados disponíveis,
abriu de imediato um inquérito.

Neste momento, adianta a Procuradoria-Geral da República em nota enviada à SIC, o caso está em
investigação no Departamento de Investigação e Ação Penal.

A investigação estará a apurar as condições em que Fernando Medina comprou em 2016 a casa onde vive a uma familiar direta do diretor e dos principais acionistas do grupo Teixeira Duarte.

A investigação estará a procurar que relação pode existir entre a compra dessa casa e duas adjudicações diretas de mais de 5 milhões de euros feitas, meses depois, pela Câmara de Lisboa
à Teixeira Duarte, empresa da família da antiga proprietária da casa que há anos não tinha qualquer negócio com a autarquia.

Uma das adjudicações diretas foi a empreitada de estabilização do jardim e miradouro de São Pedro de Alcântara, que teve o voto contra do CDS, que considerava não se justificar a urgência da obra.

A revista Sábado e os jornais Público, I e Observador publicaram investigações onde contam que Medina comprou a casa por menos 198 mil euros do que o valor pago 10 anos antes pela anterior proprietária. Ao mesmo tempo, o presidente da Câmara de Lisboa e a mulher vendiam a antiga casa onde viviam com um lucro de 130 mil euros, num período semelhante e para casas situadas
na mesma zona da cidade.

Ficam assim também dúvidas sobre duas evoluções distintas do mercado.

Em resposta ao jornal Público, Fernando Medina dá vários exemplos de que o preço que pagou
estava em linha com o mercado e até que houve quem fizesse na mesma altura um negócio por valor metro quadrado abaixo daquele que pagou.

Medina diz também que não imaginou que fosse possível qualquer associação com a as adjudicações diretas da Câmara de Lisboa que parecem ter justificado a investigação já em curso no Ministério Público.

  • "É como a velha expressão da mulher de César, tem que parecer que é honesto"
    5:26

    Opinião

    José Gomes Ferreira considera que o negócio imobiliário de Fernando Medina que está a ser investigado pelo Ministério Público pode não ter qualquer ilegalidade mas "é censurável" do ponto de vista ético e moral. Por outro lado, o diretor de informação da SIC não tem dúvidas que a denúncia, anónima, foi feita com o objetivo de recolher aproveitamento político.

  • Medina garante que tem vida "totalmente transparente"

    Autárquicas 2017

    O candidato socialista à presidência da Câmara de Lisboa e atual presidente do município, Fernando Medina, garantiu hoje que cumpriu "escrupulosamente" as obrigações legais relativamente à entrega da declaração de rendimentos ao Tribunal Constitucional, afirmando que foi "totalmente transparente".

  • Medina não declarou compra de apartamento de 645 mil euros
    2:13

    País

    O presidente da Câmara Municipal de Lisboa não declarou a compra de um apartamento no valor de 645 mil euros ao Tribunal Constitucional. Segundo o Observador, Fernando Medina declarou o pagamento de um sinal de 220 mil euros, mas não atualizou a declaração de rendimentos quando efetivou a compra do imóvel.

  • A semana em revista

    Mundo

    Com a semana a chegar ao fim, a SIC Notícias apresenta-lhe, num único artigo, os destaques que marcaram a atualidade nos últimos dias. Um espaço onde pode ficar a saber, ou simplesmente recordar, os temas que marcaram a semana noticiosa.

    André de Jesus