sicnot

Perfil

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Português a bordo do avião da Egyptair tinha 62 anos e trabalhava em Joanesburgo

A secretaria de Estado das Comunidades informou hoje que o português que seguia a bordo do avião da Egyptair que se terá despenhado no Mediterrâneo, tinha 62 anos e trabalhava em Joanesburgo, na África do Sul. De acordo com o Expresso, era casado e tinha quatro filhos.

© Amr Dalsh / Reuters

A secretaria de Estado referiu que o cidadão português tem "sede de trabalho em Joanesburgo, na África do Sul" e que, "em breve", serão dadas mais informações sobre o passageiros português.

O Expresso adianta que a vítima portuguesa chama-se João Silva, era casado e pai de quatro filhos, citando uma fonte da Mota-Engil, onde trabalhava.

O avião da Egyptair hoje desaparecido despenhou-se ao largo da ilha grega de Karpathos, no Mediterrâneo, no espaço aéreo egício, disse à agência France Presse uma fonte aeroportuária grega.

O voo MS804 da Egyptair, que fazia a ligação entre Paris e o Cairo, transportava 66 passageiros a bordo, entre eles um português, 15 cidadãos franceses, um britânico e um canadiano.

No avião, que voava de Paris para o Cairo, viajavam também dois iraquianos, um britânico, um belga, um kuwaitiano, um saudita, um sudanês, um chadiano, um argelino e um canadiano.

A fonte da avião civil da Grécia disse também que a última comunicação com o piloto do voo da Egyptair ocorreu três minutos antes de o aparelho se ter despenhado, acrescentando que não foi recebida qualquer mensagem de alerta.

O voo partiu do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, às 23:09 de quarta-feira, hora local, e devia chegar ao aeroporto internacional do Cairo na madrugada de hoje.

Com Lusa/Última atualização às 12:09

  • Avião da EgyptAir despenhou-se no Mediterrâneo

    Avião desaparecido no Mediterrâneo

    Um avião da EgyptAir desapareceu hoje no Mar Mediterrâneo. Seguia de Paris para o Cairo. O Presidente francês confirma que o aparelho se despenhou, as causas são ainda desconhecidas. Os serviços de segurança franceses não afastam a hipótese de se ter tratado de um ataque terrorista. Há registo de um passageiro de nacionalidade portuguesa a bordo do aparelho onde viajavam 66 pessoas (56 passageiros e 10 membros da tripulação).

  • "Não partilhei SMS com ninguém"
    0:43

    Caso CGD

    António Domingues afirma que nunca revelou o conteúdo das mensagens trocadas com o ministro das Finanças sobre a entrega das declarações de património ao Tribunal Constitucional. O tema dos SMS foi abordado pelo ex-presidente da Caixa na sequência de uma pergunta do PCP sobre declarações feitas por António lobo Xavier no programa da SIC Notícias "Quadratura do Círculo".

  • "As regras europeias de bem estar animal são dogmas", diz diretor-geral de Veterinária
    1:32

    País

    O diretor-geral de Alimentação e Veterinária considera que as regras de bem estar animal que existem na União Europeia (UE) "parecem configurar uma transfiguração antropomórfica dos animais". Em declarações à SIC, a propósito da exportação de animais vivos para países terceiros, que têm outras regras de abate, Fernando Bernardo defendeu ainda que o método usado em Israel provoca uma insensibilização mais rápida do que o praticada na UE.

  • PAN questiona Governo sobre aposta na exportação de animais vivos para o Médio Oriente
    1:56

    País

    O partido Pessoas-Animais-Natureza lembra que à luz do Regulamento nº. 1/2005 do Conselho Europeu, os estados-membros da União Europeia (UE) devem evitar transportar animais vivos em viagens de longo curso. O deputado André Silva considera, por isso, que "o Estado português está a incumprir o regulamento" ao fomentar estas viagens, numa clara aposta económica em torno da exportação de animais vivos para Israel e outros destinos fora da UE. Para o deputado do PAN, é muito difícil ou "mesmo impossível assegurar o bem estar dos animais" em viagens de vários dias.

  • Trump pensou que presidência "seria mais fácil"

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos Donald Trump afirmou que a Presidência é mais difícil do que pensava e que tem saudades da vida que levava antes, em entrevistas a propósito dos primeiros 100 dias em funções.