sicnot

Perfil

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

EgyptAir adverte familiares que identificação dos corpos "vai ser prolongada"

A EgyptAir advertiu hoje os familiares das vítimas da queda do seu avião no mar Mediterrâneo que a recuperação dos corpos e sua identificação vai prolongar-se por algum tempo.

Thomas Ranner

Os familiares das vítimas egípcias e francesas reuniram-se hoje com responsáveis da linha aérea egípcia, incluindo o seu presidente Safwat Moslem, e com um especialista estrangeiro em acidentes aéreos e na ajuda aos familiares.

O perito, que não foi identificado no comunicado da companhia, indicou que o processo de recuperação dos restos mortais vai implicar "um tempo prolongado".

Sobre a identificação através de testes de ADN e a recolhas de amostras aos familiares, o perito afirmou que este processo também se prolongará "por algumas semanas".

A EgyptAir manifestou o seu compromisso em apoiar as famílias das vítimas "com todos os meios ao seu alcance".

No avião, que efetuava a rota Paris-Cairo, viajavam 56 passageiros, entre eles 36 egípcios e 15 franceses, sete membros da tripulação e três membros dos serviços de segurança. Um cidadão português também seguia a bordo do aparelho.

As causas do sinistro permanecem desconhecidas, apesar de ter sido confirmado hoje que a tripulação enviou alertas sobre a presença de fumo no interior, pouco antes de o avisão se despenhar.

Os primeiros restos humanos e fragmentos do avião foram detetados a 290 quilómetros da costa egípcia, a norte da cidade de Alexandria.

Lusa

  • Alemanha aprova projeto-lei que permite aceder a telemóveis de migrantes
    1:52
  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.