sicnot

Perfil

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Meios reforçados para tentar detetar caixas negras do avião que caiu no Mediterrâneo

O Egito anunciou hoje ter enviado um submarino para o Mediterrâneo três dias após a queda do avião da EgyptAir para localizar as decisivas "caixas negras" que podem ajudar a esclarecer a tese de acidente ou de atentado.

Uncredited

O presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi pronunciou-se sobre a polémica em curso, para recordar que na atual situação "todas as hipóteses são possíveis" e que nenhuma está a ser privilegiada.

O ministro da Aviação civil referiu-se à tese de atentado no dia da catástrofe, mas de seguida a ausência de uma reivindicação e a emissão de alertas assinalando fumo a bordo e uma falha do sistema de comandos de voo reforçaram a hipótese de um acidente técnico.

O voo MS804 que fazia a ligação Paris-Cairo despenhou-se no mar Mediterrâneo na noite de quarta-feira para quinta-feira com 66 pessoas a bordo, incluindo 30 egípcios, 15 franceses e um cidadão português, após ter desaparecido subitamente dos radares.

Os navios e aviões dos exércitos egípcio e francês escrutinaram pelo terceiro dia o mar entre a ilha de Creta e a costa norte do Egito, procurando localizar a carlinga do Airbus A320 e as "caixas negras", os dois registos de voo.

Um avião francês de vigilância marítima detetou hoje novos e "diversos objetos flutuantes, provavelmente ligados ao avião", indicou um porta-voz da Marinha francesa. Até ao momento ainda não foi detetado nenhum corpo.

De visita à província de Damieta (norte), o presidente egípcio Al-Sisi considerou "ser muito importante saber que não existe nenhuma suposição concreta que neste momento nos permita determinar o que ocorreu" e pediu aos media nacionais e internacionais para não emitirem suposições.

"Aos media internacionais e nacionais: por favor, até agora todas as hipóteses são possíveis, e por isso é muito importante que não falemos ou digamos que existe uma determinada suposição", disse.

Lusa

  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.