sicnot

Perfil

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Centenas de pessoas despedem-se das vítimas do queda do avião da EgyptAir

Centenas de pessoas despediram-se hoje das 66 vítimas da queda do avião da Egyptair na quinta-feira no Mediterrâneo, numa cerimónia oficial, numa mesquita do Cairo, em que estiveram representantes do governo e da companhia aérea egípcia.

© Mohamed Abd El Ghany / Reuter

A cerimónia, organizada pelo Ministério da Aviação Civil, decorreu na mesquita marechal Tantawi, nos arredores da capital egípcia, constatou a agência noticiosa espanhola EFE.

Apesar de os corpos ainda não terem sido recuperados das águas, a cerimónia foi realizada para honrar a memória dos que viajavam no voo MS840, 56 passageiros, sete tripulantes e três agentes de segurança.

No domingo foi celebrada uma missa na catedral do Cairo em memória dos nove cristãos que morreram no desastre.

A maior parte das vítimas era egípcia (30), tendo morrido também 15 cidadãos franceses, um português e várias pessoas de outras nacionalidades, sobretudo africanas e árabes.

A queda do Airbus A320, que fazia a ligação Paris-Cairo, não foi reivindicada por qualquer grupo terrorista.

Lusa

  • Polémica "Supernanny" em debate hoje na SIC
    2:25
  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • Democratas aceitam compromisso para acabar com shutdown nos EUA

    Mundo

    Os senadores democratas aceitaram esta segunda-feira um acordo orçamental provisório que vai permitir acabar com a paralisação parcial do Governo federal dos Estados Unidos, situação conhecida como shutdown, anunciou o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC