sicnot

Perfil

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Avião desaparecido no Mediterrâneo

Sinal detetado é da caixa negra do voo da EgyptAir

Uma equipa de investigadores confirmou hoje que o sinal detetado pela marinha francesa no Mediterrâneo é proveniente de uma das duas caixas negras do voo Paris-Cairo da EgyptAir que se despenhou a 19 de maio.

© Mohamed Abd El Ghany / Reuter

"O sinal de um registo de voo pôde ser detetado pelos equipamentos da sociedade Alseamar que se encontram a bordo no navio da marinha nacional Laplace", confirmou em comunicado Rémi Jouty, diretor do Gabinete de investigações e análises da Aviação civil francesa.

Previamente, as autoridades egípcias tinham referido que um navio da marinha francesa tinha captado "sinais provavelmente provenientes" de uma das duas caixas negras do voo Paris-Cairo da EgyptAir que se despenhou com 66 pessoas a bordo.

O ministério da Aviação civil precisou em comunicado que será necessário aguardar uma semana antes da chegada de um outro navio com equipamento específico para trazer à superfície os dois registos de voo.

Apenas as análises dos registos de voo, as caixas negras, poderão desvendar as causas do acidente, que ainda permanecem desconhecidas.

"O equipamento de busca do Laplace, um navio da marinha francesa, captaram sinais provavelmente provenientes de uma das duas caixas negras do avião", especificou o ministério egípcio.

O Laplace, que alcançou na terça-feira a zona de buscas, está equipado com três aparelhos submergíveis da sociedade francesa Alseamar, com capacidade para detetar 'pings' (eco sonar) das caixas negras até 5.000 metros de profundidade.

O navio da sociedade Deep Ocean Search (DOS), equipado com um robot que permite recuperar os registadores de voo a 3.000 metros, deve alcançar em 10 de junho a zona onde o avião provavelmente se despenhou.

A hipótese de atentado, inicialmente avançada pelas autoridades egípcias, está a ser agora preterida por um eventual problema técnico: os alertas automáticos foram emitidos pelo aparelho dois minutos antes da sua queda, assinalando fumo no cockpit e uma falha no computador que gere os comandos.

O voo MS804 despenhou-se entre Creta e a costa norte do Egito após ter subitamente desaparecido dos ecrãs radar.


Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.