sicnot

Perfil

Banif

Banif

Banif

Ações do Banif SA abrem a perder 35,71% na Bolsa de Lisboa

As ações do Banif SA estavam hoje a perder 35,71% cinco minutos depois da abertura da Bolsa de Lisboa, de acordo com o 'site' da Euronext, num dia em que se noticia a intervenção do governo no banco.

Pelas 08:05, as ações do Banif registavam uma queda de 35,71%, do que na anterior sessão da Bolsa lisboeta, valendo nove centésimos de cêntimo.

O jornal Público avança, na sua edição de hoje, que o Governo está a trabalhar para encontrar uma solução para ao Banif ainda esta semana, a qual passará por expurgar do balanço do banco os ativos tóxicos.

O Diário de Notícias/Dinheiro Vivo refere que o executivo está a "lutar contra o tempo" para encontrar uma solução para o Banif, mas indica que a venda da totalidade do capital "será muito difícil". A solução deverá passar por vender apenas parte do banco ou transformar os Cocos (dívida convertível em ações) em capital, acrescenta o DN.

O banco foi intervencionado há cerca de três anos com uma injeção estatal de 700 milhões de euros, que terão de ser devolvidos até ao final de 2017. Foi também feito um empréstimo de Cocos no montante de 400 milhões de euros (dos quais 275 milhões já foram devolvidos). O Banif falhou, contudo, o pagamento da última prestação, de 125 milhões, que deveria ter sido paga ao Tesouro em dezembro de 2014.

O Ministério das Finanças confirmou na madrugada de hoje que está a acompanhar a situação do Banif, após a divulgação de notícias a dar conta de que o Estado se prepara para aplicar uma medida de resolução na instituição financeira.

"O plano de reestruturação do Banif, tal como é de conhecimento público, está a ser analisado pela DG Comp [Direção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia]. Paralelamente, decorre um processo de venda do banco nos mercados internacionais conduzido pelo seu Conselho de Administração. O Governo acompanha, como lhe compete, a evolução destes processos", lê-se no comunicado do Ministério das Finanças divulgado hoje, depois de notícias divulgadas este domingo à noite quer pela TVI quer pelo Público que apontam para uma solução iminente para o Banif.

Segundo o ministério liderado por Mário Centeno, o executivo acompanha a situação do banco com o objectivo de garantir "a confiança no sistema financeiro, a plena proteção dos depositantes, as condições de financiamento da economia e a melhor proteção dos contribuintes".

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57

    País

    Tondela foi um dos municípios mais atingidos pelo incêndio, deixando dezenas de animais feridos e perdidos no concelho. Várias clínicas veterinárias são agora um porto de abrigo e, em alguns casos, um ponto de encontro. Muitos dos animais chegaram recolhidos por voluntários e a maior parte dos casos são animais que, no momento de aflição, foram soltos pelos donos e salvos pelo instituto de sobrevivência.

  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31