sicnot

Perfil

Banif

Governo sem apoio garantido da esquerda para votação do Orçamento Retificativo

Governo sem apoio garantido da esquerda para votação do Orçamento Retificativo

António Costa não tem nenhum apoio garantido nem PCP, nem Bloco de Esquerda, para a aprovação do Orçamento Retificativo. O PCP vai votar contra a proposta do Governo de Orçamento Retificativo para 2015, discordando da solução de transferir para os contribuintes uma fatia substancial dos encargos com o Banif. O Bloco de Esquerda impõe condições ao Governo para aprovar o documento. Costa pode tentar o apoio do PSD, de Passos Coelho, que esta manhã disse que não vai criticar a solução encontrada para o Banif.

  • PCP vai votar contra Orçamento Retificativo

    Banif

    O PCP vai votar contra a proposta do Governo de Orçamento Retificativo para 2015, discordando da solução de transferir para os contribuintes uma fatia substancial dos encargos com o Banif. O Bloco de Esquerda não vai para já decidir o sentido de voto do grupo parlamentar. O Bloco impõe condições ao Governo para aprovar o documento. A proposta de Orçamento Retificativo foi aprovada na segunda-feira em Conselho de Ministros e é discutida e votada na quarta-feira, em plenário, na Assembleia da República.

  • Estado reconhece que já perdeu de forma irreversível 2.441 M€ no Banif

    Banif

    As perdas potenciais do Banif são de 3.680 milhões de euros. Desse valor, o Estado reconhece que já perdeu de forma irreversível, 2.441 milhões de euros. A SIC sabe que o Governo já deu o dinheiro como perdido. Das perdas potenciais do banco, o Executivo espera reaver parte do valor investido através dos ativos tóxicos colocados no chamado banco mau.

  • Maria Luís Albuquerque diz que situação no Banif se agravou depois da queda do Governo
    2:30

    Banif

    Maria Luís Albuquerque rejeita as críticas do Governo e da esquerda que acusam o anterior executivo de ter deixado arrastar a situação financeira do Banif. Em entrevista à TVI, a antiga ministra afirmou que há claramente um problema de supervisão por parte do Banco de Portugal e garantiu que foram feitas várias tentativas para que fosse aprovado um plano de reestruturação, com um processo de venda paralelo. A ex-responsável pela pasta das Finanças rejeita acusações de inação e diz que a situação agravou-se depois da queda do Governo.

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Reservas de viagens na Páscoa e no verão aumentaram
    1:19

    Economia

    As reservas de viagens no período da Páscoa e do verão aumentaram este ano, tanto para o estrangeiro como para dentro de Portugal. O Algarve, a Madeira e os Açores continuam a ser os destinos de eleição. Os portugueses estão também a marcar férias com mais antecedência, uma das receitas para conseguir melhores preços.

  • Escada rolante inverte sentido e varre dezenas de pessoas
    1:15
  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.