sicnot

Perfil

Banif

Banif

Banif

CDS/PP-Madeira discorda da posição do partido nacional e "não votaria contra"

O CDS/PP-Madeira, a principal força política da oposição regional, afirmou hoje discordar da posição da bancada do partido na Assembleia da República, declarando que "não votaria contra a solução" do PS para a situação do Banif.

Cecília Meireles, deputada do CDS-PP

Cecília Meireles, deputada do CDS-PP

TIAGO PETINGA/ LUSA

"O CDS-PP Madeira entende que o essencial é proteger a economia da Região, através da salvaguarda dos depósitos dos madeirenses e dos porto-santenses, dos emigrantes espalhados pelo mundo, e das linhas de crédito do sector público e privado da Região e nesse sentido, não votaria contra a solução apresentada pelo PS", diz a estrutura regional centrista insular em comunicado enviado à agência Lusa, assinado pelo novo presidente, António Lopes da Fonseca.

No mesmo documento, os centristas madeirenses afirmam que "a solução para o Banif levanta muitas dúvidas, mas o CDS-PP Madeira não a inviabilizaria, pensando em primeiro lugar na economia da Região".

No entender dos responsáveis do CDS/PP-M deste arquipélago, "os contornos da venda do Banif não estão suficientemente esclarecidos, sabendo-se apenas que, mais uma vez, serão os contribuintes portugueses, inclusive os madeirenses e porto-santenses, a pagar para acudir ao sistema bancário, desta vez pela mão do PS.".

Para o CDS/PP-M, "o Orçamento Retificativo apresentado pelo PS, que comporta a solução para o banco, levanta muitas dúvidas mas confirma diversas suspeições".

No seu entender, confirma "a insustentabilidade da coligação governativa, já que, à primeira dificuldade, o PCP e o Bloco de Esquerda (incluindo, com alguma surpresa, o deputado eleito pelo BE Madeira) abandonaram o executivo de António Costa, votando contra a solução por este apresentada".

Também aponta questões como "a fuga de informação que originou a queda final do banco através de uma inusitada corrida aos depósitos que está por explicar", considerando que o mesmo acontece com "a forma que se faz a repartição entre o público e o privado" e quais foram as "outras alternativas descartadas pelo Governo do PS e o que levou ao caminho escolhido".

O CDS/PP-M defende ainda "a necessidade de uma comissão parlamentar urgente, na Assembleia da República, para que se esclareçam todos os contornos deste processo".

O parlamento aprovou hoje em votação final global o Orçamento Retificativo de 2015 apresentado devido à resolução do Banif, com os votos favoráveis do PS, a abstenção do PSD e os votos contra do BE, PCP, CDS-PP, PEV e PAN.

No PSD, contudo, os três deputados eleitos pela Madeira - Sara Madruga, Rubina Berardo e Paulo Neves - votaram favoravelmente o texto.

A discussão e votação do retificativo foi agendada depois do anúncio no domingo pelo Governo e o Banco de Portugal da venda do Banif ao Banco Santander Totta.

A venda deu-se por um valor de 150 milhões de euros, no âmbito da medida de resolução aplicada ao banco cuja maioria do capital pertencia ao Estado português, de forma a impedir a sua liquidação, numa operação que envolve um apoio público estimado em 2.255 milhões dez euros.

Lusa

  • Retificativo aprovado graças à abstenção do PSD
    2:56

    Economia

    O Orçamento Rectificativo foi aprovado graças à abstenção do PSD. Só o PS votou a favor do documento, que permite injectar mais de 2 mil milhões de euros no Banif. PCP, Bloco de Esquerda, Verdes e CDS votaram contra. Foi precisamente o CDS que justificou no Parlamento a actuação do governo anterior.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.

  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.