sicnot

Perfil

Banif

Banif

Banif

CDS/PP-Madeira discorda da posição do partido nacional e "não votaria contra"

O CDS/PP-Madeira, a principal força política da oposição regional, afirmou hoje discordar da posição da bancada do partido na Assembleia da República, declarando que "não votaria contra a solução" do PS para a situação do Banif.

Cecília Meireles, deputada do CDS-PP

Cecília Meireles, deputada do CDS-PP

TIAGO PETINGA/ LUSA

"O CDS-PP Madeira entende que o essencial é proteger a economia da Região, através da salvaguarda dos depósitos dos madeirenses e dos porto-santenses, dos emigrantes espalhados pelo mundo, e das linhas de crédito do sector público e privado da Região e nesse sentido, não votaria contra a solução apresentada pelo PS", diz a estrutura regional centrista insular em comunicado enviado à agência Lusa, assinado pelo novo presidente, António Lopes da Fonseca.

No mesmo documento, os centristas madeirenses afirmam que "a solução para o Banif levanta muitas dúvidas, mas o CDS-PP Madeira não a inviabilizaria, pensando em primeiro lugar na economia da Região".

No entender dos responsáveis do CDS/PP-M deste arquipélago, "os contornos da venda do Banif não estão suficientemente esclarecidos, sabendo-se apenas que, mais uma vez, serão os contribuintes portugueses, inclusive os madeirenses e porto-santenses, a pagar para acudir ao sistema bancário, desta vez pela mão do PS.".

Para o CDS/PP-M, "o Orçamento Retificativo apresentado pelo PS, que comporta a solução para o banco, levanta muitas dúvidas mas confirma diversas suspeições".

No seu entender, confirma "a insustentabilidade da coligação governativa, já que, à primeira dificuldade, o PCP e o Bloco de Esquerda (incluindo, com alguma surpresa, o deputado eleito pelo BE Madeira) abandonaram o executivo de António Costa, votando contra a solução por este apresentada".

Também aponta questões como "a fuga de informação que originou a queda final do banco através de uma inusitada corrida aos depósitos que está por explicar", considerando que o mesmo acontece com "a forma que se faz a repartição entre o público e o privado" e quais foram as "outras alternativas descartadas pelo Governo do PS e o que levou ao caminho escolhido".

O CDS/PP-M defende ainda "a necessidade de uma comissão parlamentar urgente, na Assembleia da República, para que se esclareçam todos os contornos deste processo".

O parlamento aprovou hoje em votação final global o Orçamento Retificativo de 2015 apresentado devido à resolução do Banif, com os votos favoráveis do PS, a abstenção do PSD e os votos contra do BE, PCP, CDS-PP, PEV e PAN.

No PSD, contudo, os três deputados eleitos pela Madeira - Sara Madruga, Rubina Berardo e Paulo Neves - votaram favoravelmente o texto.

A discussão e votação do retificativo foi agendada depois do anúncio no domingo pelo Governo e o Banco de Portugal da venda do Banif ao Banco Santander Totta.

A venda deu-se por um valor de 150 milhões de euros, no âmbito da medida de resolução aplicada ao banco cuja maioria do capital pertencia ao Estado português, de forma a impedir a sua liquidação, numa operação que envolve um apoio público estimado em 2.255 milhões dez euros.

Lusa

  • Retificativo aprovado graças à abstenção do PSD
    2:56

    Economia

    O Orçamento Rectificativo foi aprovado graças à abstenção do PSD. Só o PS votou a favor do documento, que permite injectar mais de 2 mil milhões de euros no Banif. PCP, Bloco de Esquerda, Verdes e CDS votaram contra. Foi precisamente o CDS que justificou no Parlamento a actuação do governo anterior.

  • "Temos de jogar melhor do que frente à Espanha"
    0:45
  • Ronaldo é o jogador que mais preocupa os marroquinos
    2:35
  • Recorda-se de Tahar? O ex-futebolista marroquino que já jogou em Portugal
    6:10
  • "Somos 11 milhões, queremos ser campeões e as russas são grandes canhões"
    3:54
  • Denis Cheryshev: o orgulho dos anfitriões

    Mundial 2018 / Rússia

    O avançado Denis Cheryshev foi eleito o Homem do Jogo entre Rússia e Egito, que os russos venceram por 3-1. Marcou o segundo golo dos anfitriões, o terceiro em nome próprio no Mundial e juntou-se a Cristiano Ronaldo no topo da lista de melhores marcadores. Aos 27 anos e a jogar o primeiro Mundial da carreira, Cheryshev continua a assumir-se como um dos principais rostos da esperança russa para o sucesso desta campanha. Depois de já ter sido o melhor em campo no triunfo sobre a Arábia Saudita, a nação anfitriã vê-o como uma espécie de porta-estandarte do orgulho russo na defesa da pátria.

  • Gato Achilles acerta no resultado do Rússia-Egito

    Desporto

    O gato Achilles é o adivinho dos jogos do Mundial na Rússia. Depois de ter acertado na vitória da Rússia frente à Arábia Saudita, o felino voltou a apostar na equipa certa, com os russos a vencerem esta terça-feira o Egipto por 3-1.

  • Os momentos que marcaram o 6.º dia de Mundial
    0:58
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O espetáculo fora das quatro linhas
    2:30
  • "Quando o Cristiano Ronaldo te convidar para almoçar, recusa"

    Desporto

    Na possibilidade de ser convidado por Cristiano Ronaldo para um almoço ou jantar, recuse. Este é o conselho de Patrice Evra, que revelou o "sofrimento" que passou quando aceitou almoçar em casa do capitão da seleção nacional, na altura em que ambos jogavam pelo Manchester United. O jogador francês falou sobre a comida "demasiado saudável" e o exercício que acabou por ter de fazer, enquanto podia estar a descansar.

    SIC

  • "Quero ir com a minha tia", o desespero das crianças afastadas dos pais nos EUA
    2:11

    Mundo

    A nova política de imigração de Donald Trump está a suscitar reações indignadas. Na fronteira com o México, as crianças refugiadas estão a ser retiradas à força aos pais e levadas para centros de acolhimento. Esta terça-feira, foi divulgado um registo áudio de uma criança a suplicar pelos pais a um dos agentes da polícia fronteiriça.

  • Protecionismo de Trump abala Wall Street

    Economia

    Abalada pela exacerbação das disputas comerciais entre os EUA e a China, a bolsa nova-iorquina encerrou esta terça-feira em baixa, com o seletivo Dow Jones a fechar em queda pela sexta sessão consecutiva.