sicnot

Perfil

Banif

Banif

Banif

Finanças negam poupança até mil M€ não pagando dívida sénior do Banif.

O Ministério das Finanças rejeita que fosse possível poupar até mil milhões de euros não pagando a dívida sénior do Banif.

Lusa

Lusa

Tiago Petinga

O gabinete de Mário Centeno esclarece que a participação deste tipo de dívida na cobertura de pejuízos atingiria, no máximo, os 169 milhões de euros.

Para alcançar uma poupança superior, garante, seria preciso chamar os depositantes à solução, algo que o Ministério acredita que colocaria em causa a confiança no sistema financeiro.

O Governo diz ainda que o mais importante foi salvaguardar os depósitos e, sublinha, no caso de chamar os obrgacionistas séniores à solução, seriam incluídos também cerca de 200 milhões de euros de depósitos de emigrantes.

  • Governo não seguiu recomendação de Bruxelas sobre Banif

    Banif

    A Comissão Europeia propôs ao anterior Governo, em dezembro de 2014, a divisão do Banif em "banco bom" que deveria ser vendido até ao final de 2017, e em "banco mau", um veículo especial onde seriam colocados os ativos não estratégicos. De acordo com o Expresso, o Governo não seguiu a recomendação que poupava ao Estado até mil milhões de euros.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.