sicnot

Perfil

Banif

Banif

Banif

Governo da Madeira diz estar a ser estudada solução para lesados do Banif

O presidente do Governo Regional da Madeira afirmou hoje que está a ser estudada uma solução para os lesados do Banif que, apesar de não ser a "ideal", pode ressarcir investimentos, ainda que "não totalmente".

© Rafael Marchante / Reuters (Arquivo)

"Não é uma solução ótima, ideal, mas pelo menos se for encontrada, como eu espero, será uma possibilidade de ressarcir, ainda que não totalmente, as pessoas que foram afetadas", afirmou Miguel Albuquerque à margem de uma visita a um centro de saúde, no norte da ilha.

Miguel Albuquerque não adiantou mais esclarecimentos sobre a solução em causa, mas adiantou que "o Santander está a tentar encontrar instrumentos que sejam colocados no mercado no sentido de permitir aos lesados, durante x anos, poderem ser ressarcidos dos investimentos que fizeram", explicou.

De acordo com os dados do Governo, Açores e Madeira têm cerca de 5.000 detentores de obrigações subordinadas.

Miguel Albuquerque, afirmou que, enquanto presidente do executivo, tem cumprido o sue "papel de influenciar e de tentar chamar à atenção das instituições envolvidas" para a situação dos lesados do Banif, revelando ter estado em contacto com "responsáveis do banco Santander Totta e até com os próprios responsáveis nacionais".

O responsável adiantou ainda que, no caso de algumas Instituições de Solidariedade Social, está a ser desenvolvida uma solução "no âmbito do mecenato".

"Evidentemente que esse trabalho está a ser feito e não vai depender só do Santander, mas sim de um conjunto de fatores", alertou.

Na segunda-feira cerca de duas centenas de lesados do Banif manifestaram-se no Funchal, em frente à antiga sede do banco e, depois, junto ao Santander Totta, banco que comprou o Banif, exigindo a devolução do dinheiro investido em aplicações.

Eram sobretudo emigrantes e ex-emigrantes, oriundos de vários concelhos da Madeira, e empunhavam cartazes com inscrições como "Gatunos paguem o que devem", "Nós é que sofremos e ninguém vai preso", "Queremos o nosso dinheiro, mentirosos aldrabões".

A 20 de dezembro, o Governo e o Banco de Portugal decidiram a venda da atividade do Banif e da maior parte dos seus ativos e passivos ao Banco Santander Totta por 150 milhões de euros.

Lusa

  • IPSS no Seixal alvo de processo e auditoria financeira
    1:47

    País

    A Segurança Social está fazer mais uma inspeção total a uma IPSS, agora na Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Idosos do Seixal. A fiscalização já recolheu documentação e está agora a passar a pente fino as contas, os serviços e todos os procedimentos da Instituição.

    Investigação SIC - Hoje no Jornal da Noite

    SIC

  • Rui Santos revela novos e-mails que envolvem o Benfica
    1:52
    Tempo Extra

    Tempo Extra

    3ª FEIRA 23:00

    No programa da SIC Notícias Tempo Extra, Rui Santos revelou esta terça-feira que o blogue de Hugo Gil, associado ao Benfica, partilhou informação privilegiada da APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol) com várias figuras do clube da Luz.

  • Fredy Montero é reforço do Sporting

    Desporto

    O colombiano Fredy Montero está de regresso ao Sporting, anunciou o clube. O avançado de 30 anos já tinha vestido a camisola dos leões entre 2013 e 2015, antes de passar pelos chineses do Tianjin Teda e nos canadianos dos Vancouver Whitecaps.

  • Trump mentalmente apto para ser Presidente dos EUA

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos foi na semana passada sujeito aos exames médicos anuais obrigatórios. O médico oficial da Casa Branca informou esta terça-feira que Donald Trump está de "excelente" saúde, não apenas física, como já tinha sido divulgado, mas também mental. As dúvidas sobre as capacidades cognitivas de Trump ganharam força após as revelações feitas no livro "Fire and Fury: Inside the Trump White House".

    SIC

  • "É preciso namorar bem para que o namoro dê certo"
    2:31
  • Governo vai proibir refeições nos monumentos com estatuto de panteão
    0:53

    País

    O Governo vai acabar com as refeições no Panteão Nacional e em edifícios com estatuto semelhante, como os mosteiros dos Jerónimos e da Batalha. A decisão foi anunciada esta terça-feira pelo ministro da Cultura, no Parlamento. Luís Filipe Castro Mendes esclareceu que a decisão surge no âmbito da revisão do regulamento sobre os monumentos.