sicnot

Perfil

Banif

Banif

Banif

Governo insiste que houve "falha de informação grave" de Carlos Costa relativamente ao Banif

O Governo reafirmou hoje a convicção de que o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, cometeu uma falha de informação grave ao não o informar das diligências que fez junto do BCE relativamente ao Banif.

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.

Lusa

"Mantenho. Acho que foi grave que não me tivesse sido dado conta naquele dia que havia um procedimento em Frankfurt sobre o acesso à liquidez do Banif, quando eu trabalhava numa forma de assegurar a liquidez do Banif até ao final dessa semana", afirmou o secretário de Estado Adjunto, do Tesouro e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix.

O membro do executivo de António Costa rejeitou mesmo o argumento de que Carlos Costa não podia prestar informações sobre a situação do Banif.

"As explicações que me foram dadas, não colhem", realçou Mourinho Félix durante a sua audição na comissão parlamentar de inquérito ao Banif.

Mourinho Félix recordou que o tratado europeu não impedia que se dessem informações relativamente ao banco.

"O que está escrito no Tratado da União Europeia não é que eu não posso ser informado, é que eu não posso influenciar uma decisão" do Banco de Portugal, vincou.

"Não é ilegal, não é ilegítimo, mas diz bem do grau de independência em que as pessoas se sentem. Independente é quem pensa pela sua cabeça, não é quem oculta informação", considerou o governante.

Mourinho Félix reforçou que, neste caso, "não há violação da lei". "Há discussão pública e discussão política. E disso ninguém está livre", salientou.

Em meados de abril, o Governo acusou o Banco de Portugal de ter cometido uma "falha de informação grave" na resolução do problema do Banif, ao ter omitido que pediu ao BCE para limitar o financiamento àquela instituição financeira.

Em declarações ao Público, Ricardo Mourinho Félix, alegou não só desconhecimento da iniciativa do Banco de Portugal junto do supervisor de Frankfurt, como a qualificou de "falha de informação grave".

O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, sugeriu ao Banco Central Europeu (BCE) que limitasse o acesso do Banif à liquidez do Eurosistema, ao mesmo tempo que pedia ao executivo português para encontrar forma de garantir dinheiro para o banco, tendo já explicado que essa limitação era a menos gravosa para o Banif face à difícil situação de liquidez do banco naquela altura.

Lusa

  • Governador do Banco de Portugal debaixo de fogo
    2:25

    Banif

    O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, está a ser pressionado para sair. À exceção do PSD, os partidos políticos estão unidos nesta pretensão mas o processo está pendente de ficar provado que houve falha grave de Carlos Costa. O Governador do Banco de Portugal argumenta que foi o sigilo que o impediu de informar o Governo sobre a sugestão ao BCE de limitar o financiamento ao Banif.

  • Governo admite erro grave de Carlos Costa no caso Banif
    2:03

    Banif

    O Governo admite que o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, cometeu uma falha grave na transmissão de informação sobre o BANIF, mas remete a avaliação do caso para a Comissão Parlamentar de Inquérito. O Presidente da República apela à estabilidade financeira e ao regular funcionamento das instituições.

  • "Banco de Portugal não informou o Governo nem o podia fazer"
    2:45

    Banif

    O governador do Banco de Portuga disse hoje que a entidade não informou o Governo sobre uma proposta que fez para o Banif numa reunião do Conselho de governadores do Banco Central Europeu porque "não podia". As declarações de Carlos Costa, acusado de esconder informação, foram proferidas durante a comissão parlamentar de inquérito sobre o Banif.

  • Família Aveiro na inauguração do Aeroporto Cristiano Ronaldo
    2:34

    País

    A decisão de dar o nome de Cristiano Ronaldo ao aeroporto da Madeira divide opiniões. Contudo, na cerimónia de inauguração desta quarta-feira só se ouviram aplausos. Os madeirenses juntaram-se à porta do aeroporto para ver e receber o melhor jogador do mundo. Também a família do jogador esteve na Madeira para apoiar Ronaldo.

  • A (polémica) mudança de nome do aeroporto da Madeira
    2:00

    País

    O aeroporto da Madeira é desde esta quarta-feira aeroporto Cristiano Ronaldo. O Presidente da República e o primeiro-ministro estiveram juntos na homenagem ao futebolista. A alteração não é consensual entre os madeirenses.

  • O busto de Ronaldo que virou piada no mundo inteiro
    2:04

    País

    No dia em que foi formalizado o novo nome do aeroporto da Madeira, foi também conhecido o busto em bronze de Cristiano Ronaldo e que, desde logo, começou a provocar reações em todo o mundo. As críticas da imprensa internacional não são propriamente positivas e a internet aproveitou para dar contornos humorísticos à criação.

  • Os seus descontos para a Segurança Social estão em ordem?
    7:50
    Contas Poupança

    Contas Poupança

    4ª FEIRA JORNAL DA NOITE

    Os portugueses estão cada vez mais preocupados com a reforma. O valor que se vai receber depende dos descontos que se fizerem para a Segurança Social. Mas há contabilistas que cometem burlas com o dinheiro dos clientes, há esquecimentos, e empresas que deixam de pagar as contribuições por falta de verbas. O Contas Poupança explica-lhe como pode ver neste instante se todos os seus descontos estão nos cofres da Segurança Social, e corrigir algum erro antes que seja tarde demais.

  • "Não há razão para fingirmos que hoje é um dia feliz"
    1:55

    Brexit

    Depois de receber esta quarta-feira a notificação do Brexit, o presidente do Conselho Europeu antecipou negociações difíceis. Donald Tusk diz que agora é preciso minimizar os prejuízos para os cidadãos europeus e para as empresas.

  • "Não há recuo possível"
    2:30

    Brexit

    O processo de saída do Reino Unido da União Europeia começou esta quarta-feira, com a ativação do artigo 50.º do Tratado de Lisboa. A notificação de Theresa May foi feita por carta a Donald Tusk e a primeira-ministra disse que não recuo possível. O processo de negociações levará dois anos e a saída do Reino Unido da União Europeia ficará concluída em 2019.