sicnot

Perfil

Banif

Danièle Nouy nega qualquer interferência na resolução e venda do Banif

Danièle Nouy nega qualquer interferência na resolução e venda do Banif

A presidente do mecanismo europeu de supervisão garante que não interferiu na resolução do Banif nem foi alvo de pressão para que o Santander comprasse o Banif. Questionada pelo eurodeputado José Manuel Fernandes, Danièle Nouy diz que a única coisa que fez foi responder, por email, a um pedido de esclarecimento de Mário Centeno. A verdade é que, nesse e-mail, a responsável europeia dava a entender que o Santander era o melhor candidato.

  • Lesados do Banif voltam a manifestar-se no Funchal
    2:27

    Banif

    Os lesados do Banif voltaram a exigir que lhes seja pago o dinheiro perdido com a venda do banco ao Santander Totta. No Funchal fizeram-se ouvir mais uma vez, representados por um associação recém criada que promete levar a exigência a instâncias nacionais e internacionais, tal como disse à SIC Jaime Alves, representante da Associação dos Lesados do Banif.

  • PSD quer voltar a ouvir Mário Centeno na Comissão de Inquérito do Banif
    1:25

    Economia

    O PSD quer que o ministro das Finanças volte à Comissão de Inquérito ao caso Banif. Os deputados sociais-democratas dizem que a troca de correspondência entre o ministro e o BCE, conhecida esta semana, coloca em causa as declarações de Mário Centeno na comissão. Os parlamentares do PSD levantam mesmo dúvidas sobre um eventual acordo para a venda do Banif ao Santader.

  • PSD sugere que Centeno terá feito pressão na venda do Banif
    1:56

    Banif

    O PSD sugere que terá sido o ministro das Finanças, Mário Centeno, a exercer pressão para que o Banif fosse vendido ao Santander. Os sociais-democratas divulgaram um email, enviado pelo Banco Central Europeu, que diz explicitamente que foi Centeno a intervir no negócio e, por isso, querem voltar a ouvi-lo no Parlamento.

  • Centeno admite que o Governo decidiu vários detalhes da resolução e venda do Banif
    1:28

    Banif

    O ministro das Finanças considera que houve uma forte imposição da Direção Geral da Concorrência da União Europeia no processo que levou à resolução e venda do Banif, apesar de admitir que o Governo também decidiu vários detalhes da solução. Questionado no Parlamento sobre as mais recentes declarações vindas de Bruxelas, em que a Comissão recusa ter imposto uma solução para o banco, Mário Centeno dá um versão diferente da história.

  • Comissão Europeia atribui responsabilidade da venda do Banif a Portugal
    2:12

    Economia

    Bruxelas atribui a responsabilidade da resolução e da venda do Banif para as autoridades portuguesas. A Comissão Europeia diz que não impõe soluções para bancos em dificuldades, mas o ministro das Finanças, Mário Centeno, afirma que houve uma forte imposição da direção geral da concorrência. As instâncias europeias continuam a duvidar de que os planos do Governo sejam suficientes para cumprir as metas.

  • Ep 2: As especulações sobre a venda do Banif
    38:29

    Pecados Capitais

    A venda do Banif ao Santander tem suscitado as mais diversas especulações. Desde logo que a compra foi apadrinhada pela Comissão Europeia, com a cumplicidade do governo socialista de Portugal. Os factos, todavia, encaminham-nos para outro cenário. Em 2012, o Banif era um banco próximo da ruína. Este é o segundo episódio de Pecados Capitais.

  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • MP investiga ministro Siza Vieira, António Costa rejeita incompatibilidades
    2:12

    País

    O Ministério Público decidiu investigar o ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, por alegadas incompatibilidades. O governante criou uma empresa imobiliária um dia antes de tomar posse e manteve-se como gerente durante dois meses. A lei prevê a demissão, mas o primeiro-ministro já disse que se tratou apenas de um erro e o próprio ministro alega desconhecimento da lei.

  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.