sicnot

Perfil

Banif

Banif

Banif

BE e CDS apresentam propostas de alteração ao relatório do inquérito do Banif

Bloco de Esquerda e CDS já apresentaram as propostas de alteração ao relatório da comissão de inquérito ao Banif. O BE quer sublinhar "intransigência" de Bruxelas sobre a incorporação na CGD. O CDS quer incluir um lamento à "insuficiente colaboração" de várias entidades.

O Bloco de Esquerda quer que o texto final reforce a ideia de que Bruxelas foi "intransigente" quanto à incorporação do Banif na Caixa Geral de Depósitos.

"Apesar de esta possibilidade não ter chegado a ser estudada a fundo, os dados disponíveis sugerem que teria tido um custo associado equivalente ou mesmo inferior ao da solução encontrada de venda ao Santander", indica o Bloco.

Por outro lado, o partido, que tem Mariana Mortágua como deputada efetiva na comissão, propõe ainda que o relatório ateste que não foram "compreensíveis as razões que levaram as autoridades europeias de supervisão a rejeitar a criação de um banco de transição" para o Banif.

Tal possibilidade, advogam os bloquistas, "teria permitido ao Estado português o tempo necessário para encontrar uma solução que minimizasse as perdas para os contribuintes, ao contrário do que se veio a verificar".

Também o CDS quer que o texto final reforce a ideia de que houve "insuficiente colaboração" de várias entidades, nacionais e comunitárias, para o trabalho da comissão de inquérito ao Banif.

"Tendo em consideração o custo, para os contribuintes portugueses, envolvido neste processo e o bom decorrer dos trabalhos desta Comissão de Inquérito, é de lamentar a insuficiente colaboração, por parte de várias entidades, nacionais e comunitárias, com as diligências e requerimentos elaborados", diz o partido, no texto das propostas de alteração ao relatório da comissão de inquérito.

O CDS-PP, que tem em João Almeida o deputado efetivo na comissão, diz ser "particularmente censurável o envio tardio de respostas - após o final das audições - por parte de instituições europeias, assim como a inaceitável fundamentação, pelo Ministério das Finanças, baseada em interpretações comunitárias restritivas, para a recusa do em enviar documentação pedida".

Tal posição do ministério tutelado por Mário Centeno está, advoga o CDS-PP, "em contradição com prática anterior dos mesmos responsáveis do Governo".

Ainda sobre o atual executivo, o CDS-PP diz que o texto final dos trabalhos deve incluir referências "a que tanto a solução CGD, preferida pelo Governo, como a hipótese do banco de transição, defendida pelo Banco de Portugal, foram recusadas pelas instituições europeias, de forma informal e não fundamentada mas, apesar disso, aceites pelo Governo" liderado por António Costa.

Com Lusa

  • PSD e CDS acusam deputado de prejudicar conclusão do inquérito ao Banif
    2:12

    Banif

    A discussão da forma acabou por se sobrepor à do conteúdo no debate sobre o relatório preliminar da Comissão de Inquérito ao caso Banif. PSD e CDS dizem que a apresentação pública do mesmo relatório numa conferência de imprensa na semana passada prejudicou as conclusões da comissão. Dizem que foi um sinal de parcialidade.

  • Conclusões do inquérito ao Banif abrem guerra entre PS e PSD
    2:41

    Banif

    Eurico Brilhante Dias responsabiliza os administradores do Banif pela forma "insustentável" como geriram o banco até 2012. As primeiras conclusões da comissão de inquérito ao Banif foram apresentadas hoje pelo deputado socialista responsável pelo relatório, que critica também a ação do Banco de Portugal e do governo PSD/CDS.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.