sicnot

Perfil

Boko Haram

Boko Haram

Boko Haram

Exército nigeriano anuncia resgate de 178 reféns do grupo extremista Boko Haram

O exército nigeriano anunciou ter libertado 178 pessoas, incluindo 101 crianças, reféns do Boko Haram, após lançar diversos ataques contra acampamentos do grupo extremista.

Bandeira do grupo Boko Haram.

Bandeira do grupo Boko Haram.

© Joe Penney / Reuters

A libertação dos reféns teve lugar ao final do dia de domingo, no estado de Borno, bastião dos radicais, no nordeste da Nigéria, de acordo com um comunicado divulgado pelo exército.

"Durante as operações da ofensiva, 178 pessoas mantidas reféns pelos terroristas foram resgatadas, incluindo 101 crianças, 67 mulheres e 10 homens", detalhou o coronel Tukur Gusau, porta-voz do exército.

O mesmo responsável indicou ainda que as forças do exército detiveram um chefe do Boko Haram e destruíram acampamentos dos islamitas nos arredores da cidade de Bama, a cerca de 70 quilómetros a sudeste de Madiguri, a capital do estado de Borno.

Um porta-voz da força aérea assegurou também que as tropas em terra repeliram um ataque dos radicais nos arredores da povoação de Bitta, na reserva florestal de Sambisa, outro dos redutos do Boko Haram.

A sangrenta insurreição dos 'jihadistas' do Boko Haram já fez mais de 15.000 mortos desde 2009 na Nigéria. Nos últimos meses, o grupo tem expandido as suas operações para os países vizinhos.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.