sicnot

Perfil

Boko Haram

Boko Haram

Boko Haram

Exército nigeriano anuncia resgate de 178 reféns do grupo extremista Boko Haram

O exército nigeriano anunciou ter libertado 178 pessoas, incluindo 101 crianças, reféns do Boko Haram, após lançar diversos ataques contra acampamentos do grupo extremista.

Bandeira do grupo Boko Haram.

Bandeira do grupo Boko Haram.

© Joe Penney / Reuters

A libertação dos reféns teve lugar ao final do dia de domingo, no estado de Borno, bastião dos radicais, no nordeste da Nigéria, de acordo com um comunicado divulgado pelo exército.

"Durante as operações da ofensiva, 178 pessoas mantidas reféns pelos terroristas foram resgatadas, incluindo 101 crianças, 67 mulheres e 10 homens", detalhou o coronel Tukur Gusau, porta-voz do exército.

O mesmo responsável indicou ainda que as forças do exército detiveram um chefe do Boko Haram e destruíram acampamentos dos islamitas nos arredores da cidade de Bama, a cerca de 70 quilómetros a sudeste de Madiguri, a capital do estado de Borno.

Um porta-voz da força aérea assegurou também que as tropas em terra repeliram um ataque dos radicais nos arredores da povoação de Bitta, na reserva florestal de Sambisa, outro dos redutos do Boko Haram.

A sangrenta insurreição dos 'jihadistas' do Boko Haram já fez mais de 15.000 mortos desde 2009 na Nigéria. Nos últimos meses, o grupo tem expandido as suas operações para os países vizinhos.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.