sicnot

Perfil

Boko Haram

Boko Haram

Boko Haram

Comunidade internacional promete 250 milhões de dólares para combater Boko Haram

Os representantes da comunidade internacional reunidos hoje na sede da União Africana em Addis Abeba para uma conferência de doadores prometeram 250 milhões de dólares para combater o movimento radical islâmico nigeriano Boko Haram.

© Akintunde Akinleye / Reuters

"Dispomos de mais ou menos 250 milhões de dólares (231 milhões de euros)" para financiar a Força de Intervenção Conjunta Multinacional (MNJTF), que combate o Boko Haram na bacia do lago Chade, anunciou Smail Chergui, comissário para a Paz e Segurança da União Africana (UA).

Chergui precisou que a Nigéria contribuiu com 110 milhões de dólares, a União Europeia com 50 milhões, o Reino Unido com oito milhões "já recebidos", a Suíça com quatro milhões de francos suíços (3,6 milhões de euros) e a Comunidade de Estados do Sahel-Saara com 1,5 milhões de dólares.

O chefe de Estado do Chade, Idriss Déby, novo presidente em exercício da UA, disse esperar que as promessas de contribuições sejam "honradas urgentemente para mostrar o firme empenho na luta contra o terrorismo".

Para combater o Boko Haram, os quatro países nas margens do lago Chade -- Nigéria, Camarões, Chade e Níger -- e o Benim criaram a referida força conjunta, que integra 8.700 militares, polícias e civis.

Chergui considerou no domingo que aquela força tem feito "um trabalho notável" e "o Boko Haram já não ocupa o território como antes: estão escondidos na floresta", de onde saem para realizar os atentados terroristas.

"Foram obtidos grandes resultados e devemos consolidar o adquirido", adiantou.

O Boko Haram, que jurou lealdade ao grupo radical Estado Islâmico, já causou mais de 17.000 mortos e 2,6 milhões de deslocados na Nigéria, desde que iniciou a sua revolta em 2009.

Lusa

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.