sicnot

Perfil

Boko Haram

Boko Haram

Boko Haram

Atentado realizado por duas crianças nos Camarões faz oito mortos

Pelo menos oito pessoas morreram hoje nos Camarões num atentado suicida perpetrado por duas meninas, com cerca de 13 anos de idade, alegadamente recrutadas pelo grupo extremista nigeriano Boko Haram, segundo fontes locais citadas pela agência Efe.

As duas suicidas fizeram-se explodir durante um funeral na localidade de Nguetchéwé, explicou o porta-voz de um grupo de patrulha local.

Além dos oito mortos (incluindo as duas raparigas), cerca de vinte pessoas ficaram feriadas, disseram as mesmas fontes.

O atentado não foi ainda reivindicado, mas esta região é atacada com frequência por jihadistas nigerianos do Boko Haram.

O país já registou cerca de 30 ataques terroristas desde o início do ano perpetrados pelo Boko Haram, em que morreram 30 pessoas.

A 01 de fevereiro, os representantes da comunidade internacional reunidos na sede da União Africana em Addis Abeba para uma conferência de doadores prometeram 250 milhões de dólares para combater o movimento radical islâmico nigeriano Boko Haram.

"Dispomos de mais ou menos 250 milhões de dólares (231 milhões de euros)" para financiar a Força de Intervenção Conjunta Multinacional (MNJTF), que combate o Boko Haram na bacia do lago Chade, anunciou naquele dia Smail Chergui, comissário para a Paz e Segurança da União Africana (UA).

Chergui precisou que a Nigéria contribuiu com 110 milhões de dólares, a União Europeia com 50 milhões, o Reino Unido com oito milhões "já recebidos", a Suíça com quatro milhões de francos suíços (3,6 milhões de euros) e a Comunidade de Estados do Sahel-Saara com 1,5 milhões de dólares.

O chefe de Estado do Chade, Idriss Déby, novo presidente em exercício da UA, disse esperar que as promessas de contribuições sejam "honradas urgentemente para mostrar o firme empenho na luta contra o terrorismo".

Para combater o Boko Haram, os quatro países nas margens do lago Chade -- Nigéria, Camarões, Chade e Níger -- e o Benim criaram a referida força conjunta, que integra 8.700 militares, polícias e civis.

Para Chergui, aquela força tem feito "um trabalho notável" e "o Boko Haram já não ocupa o território como antes: estão escondidos na floresta", de onde saem para realizar os atentados terroristas.

"Foram obtidos grandes resultados e devemos consolidar o adquirido", afirmou.

O Boko Haram, que jurou lealdade ao grupo radical Estado Islâmico, já causou mais de 17 mil mortos e 2,6 milhões de deslocados na Nigéria, desde que iniciou a sua revolta, em 2009.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15