sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Libra recupera após assassinato da deputada trabalhista Jo Cox

A libra seguia hoje a subir depois da queda de quinta-feira, na sequência do assassinato da deputada trabalhista Jo Cox que levou à suspensão da campanha para o referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia.

© Toby Melville / Reuters

A deputada, de 41 anos, não resistiu aos ferimentos após ter sido atingida a tiro e apunhalada em plena rua na cidade de Birstall, norte de Inglaterra, na quinta-feira, por um homem de 52 anos que foi detido, alegadamente com ligações a um grupo de extrema-direita.

O medo sobre as consequências de uma eventual saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit) tem-se intensificado nos últimos dias, com avisos de uma queda no mercado global e recessão no britânico, levando a libra a desvalorizar.

A libra subiu hoje para 1,4242 dólares em Tóquio, dos 1,4211 dólares do fecho de quinta-feira, depois de ter tocado em mínimos de dois meses (1,40 dólares), de acordo com a agência financeira Bloomberg.

A morte de Cox motivou a suspensão de todos os atos de campanha que estavam previstos para quinta-feira e hoje.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro conservador David Cameron anulou a sua participação num comício em Gibraltar para defender a opção da permanência e evitar o processo conhecido por Brexit.


Lusa

  • Bloomberg estima queda histórica da libra se o Reino Unido sair da UE

    Brexit

    A libra pode atingir um mínimo histórico de 30 anos face ao dólar se o Reino Unido sair da União Europeia. Esta é a estimativa avançada por cerca de três dezenas de analistas consultados pela Bloomberg. Pelo contrário, caso tudo permaneça como está a moeda britânica pode subir 6% e atingir máximos do ano. A dez dias da votação, os receios em torno da vitória do sim assustam os investidores. As bolsas asiáticas registaram a maior queda em dois meses e as praças europeias caem pela quarta sessão.

  • David Cameron volta a defender que o Reino Unido só perde com a saída da UE
    1:27

    Mundo

    O primeiro-ministro britânico, David Cameron, afirmou que 3 milhões de empregos dependem dos acordos de comércio com os Estados-membros da União Europeia. Ontem, depois do "mayor" londrino, Boris Johnson, ter anunciado que vai fazer campanha a favor do Brexit, a libra caiu para o valor mais baixo dos últimos sete anos, face ao dólar.Administradores de quase 200 empresas defendem que o Brexit representa uma ameaça para a economia.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.