sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

FMI alerta que possível Brexit vai criar incerteza e instabilidade

O Fundo Monetário Internacional alerta que a possível saída do Reino Unido da União Europeia vai criar incerteza e instabilidade. O FMI diz que o Brexit terá repercussões em todo o mundo, sobretudo na Europa, com um abrandamento da economia.

© Stefan Wermuth / Reuters

De acordo com o FMI, os países mais expostos são a Irlanda, o Chipre, Malta, Holanda e Bélgica.

Os defensores do Brexit dizem que a saída traria benefícios ao Reino Unido, já que deixaria de estar sujeito a uma série de regras, o que poderia melhorar a produtividade do país.

Contudo, o fundo rebate o argumento, já que considera pouco provável que a saída traga alguma vantagem ao Reino Unido.

  • Novas sondagens dão vitória ao Brexit

    Brexit

    A oito dias do referendo, três novas sondagens deram vitória ao Brexit em Inglaterra. A sondagem mensal Ipsos-Mori revelou que 53% dos inquiridos tenciona votar pela saída do país da União Europeia, enquanto os restantes 47% preferem ficar. Daqueles que tencionam votar no Brexit, grande parte pensa estar numa situação melhor dentro de cinco anos, com a saída da União Europeia.

  • Cameron alerta para os perigos do Brexit
    0:17

    Brexit

    O primeiro-ministro britânico alertou hoje para os perigos da saída do país da União Europeia, como a economia, que sairá prejudicada. David Cameron disse que haverá cortes na despesa pública e aumento de impostos, caso o Brexit vença.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • Manifestações de apoio aos pais de Alfie impedidos de o levar para Itália
    3:03

    Mundo

    A justiça britânica rejeitou um novo recurso dos pais do bebé Alfie, que está em estado semivegetativo. O objetivo era levar o menino para Itália, para ser assistido numa unidade pediátrica no Vaticano. Os pais não querem que as máquinas sejam desligadas, mas os médicos defendem que os tratamentos são inúteis.