sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Marcado para novembro julgamento do alegado assassino de Jo Cox

O julgamento de Thomas Mair, o presumível assassino da deputada trabalhista Jo Cox, vai ser realizado no próximo outono, indicou hoje a justiça britânica, que fixou provisoriamente a data do início para o dia 14 de novembro.

© Stefan Wermuth / Reuters

Mair, com 52 anos, é acusado de disparar e apunhalar fatalmente a parlamentar, que teria feito esta quarta-feira 42 anos, no passado dia 16 de junho na localidade de Birstall, no norte de Inglaterra.

O suspeito, que supostamente sofre perturbações mentais e estava vinculado a meios da extrema direita, enfrenta as acusações de homicídio e posse ilegal de arma de fogo, entre outros.

Mair participou hoje numa audiência no Tribunal de Old Bailey, em Londres, através de videoconferência a partir da prisão de alta segurança de Belmarsh.

O juiz que conduziu a audiência agendou provisoriamente para 14 de novembro a data do início do julgamento, que deverá ser realizado no mesmo tribunal londrino, e ainda outras duas audiências prévias em 19 de setembro e 4 de outubro.

Na audiência de hoje, Mair - cujo caso está a ser julgado sob o "protocolo de terrorismo" e, por isso, responderá perante um juiz do tribunal superior -- apenas falou para confirmar o seu nome.

Na primeira comparência em tribunal, no passado sábado, Mair recusou-se a confirmar a sua identidade e, em vez disso, apenas declarou: "morte aos traidores. Liberdade para o Reino Unido".

A audiência preliminar de hoje coincidiu com o dia do referendo no Reino Unido sobre a permanência ou não do país na União Europeia.

A morte trágica de Jo Cox, mãe de duas crianças pequenas -- que fazia campanha pela manutenção do Reino Unido na UE -- comoveu o país e motivou uma paragem por três dias da campanha para o referendo, em sinal de respeito.

Na passada quarta-feira, dia em que celebraria o seu 42.º aniversário, milhares de pessoas juntaram-se em Trafalgar Square, a famosa praça no centro de Londres, para prestar tributo à deputada, numa homenagem em que marcaram presença, entre outros, o seu viúvo, Brendan Cox, os dois filhos, um menino e uma menina, de 5 e 4 anos, respetivamente, a Prémio Nobel da Paz, Malala Yousafzai, e Bono, vocalista dos U2.

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.