sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

PM grego pede à UE para acordar e "mudar políticas"

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, afirmou hoje que o referendo britânico deve acordar a União Europeia (UE) para a necessidade de "mudar de políticas", caso contrário arrisca-se a entrar numa "perigosa via de regressão" para os povos europeus.

© Jean-Marc Loos / Reuters

"O discurso presunçoso dos eurocratas enfurece os povos (...) Precisamos de mudar políticas e mentalidades para travar o euroceticismo", o nacionalismo e a extrema-direita, disse Tsipras à imprensa.

A vitória do 'Brexit' deve ser "o acordar do sonâmbulo que avança no vazio, uma perigosa via de regressão para os nossos povos", acrescentou.

O primeiro-ministro grego referiu nomeadamente "as políticas de extrema rigidez que agravaram as desigualdades", a política de "migrações 'à la carte'" e o encerramento de fronteiras como fatores que aumentaram o fosso entre o norte e o sul e favoreceram a extrema-direita.

"Este é um dia difícil que confirma a crise de identidade da Europa" e "um golpe para a unificação europeia", disse.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido vai sair a União Europeia (UE), depois de o 'Brexit' ter conquistado 51,9 por cento dos votos no referendo de quinta-feira, cuja taxa de participação foi de 72,2%.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou já a sua demissão com efeitos em outubro.

As principais bolsas europeias abriram hoje em forte queda, com a bolsa de Londres a descer perto dos 08%, mantendo-se ao fim da manhã com perdas entre os 05% e os 11%.

Numa primeira reação, os presidentes das instituições europeias (Comissão, Conselho, Parlamento Europeu e da presidência rotativa da UE) defenderam um 'divórcio' o mais rapidamente possível, "por muito doloroso que seja o processo".

Lusa

  • Brexit abala coesão interna do Reino Unido
    1:50

    Brexit

    O referendo no Reino Unido vem levantar uma enorme incógnita sobre o futuro de uma união interna. Inglaterra e Pais de Gales queriam sair. Irlanda do Norte e Escócia ficar. O Governo escocês vai avançar para um referendo pela independência. Alex Salmond, antigo líder do Partido Nacional Escocês, defende que a Escócia deve continuar na União Europeia, apesar do resultado final.

  • Juncker quer acelerar negociações com os britânicos
    0:34

    Brexit

    O presidente da Comissão Europeia rejeitou que a saída do Reino Unido represente o princípio do fim da União Europeia (UE). "A união é o enquadramento do nosso futuro político comum", diz Jean-Claude Juncker que não quer que a incerteza se prolongue e pretende acelerar as negociações com os britânicos.

  • Costa apela à união e reflexão da Europa
    1:51

    Brexit

    O primeiro-ministro de Portugal diz que este é um dia triste para a Europa, na reação à vitória do "sair" no referendo da permanência do Reino Unido na União Europeia. António Costa acrescenta que a Europa deve unir-se e refletir sobre a mensagem que os cidadãos europeus têm dado.

  • Retrato de um reino dividido
    1:43

    Brexit

    Um parte do Reino Unido está em choque, outra parte em festa. Cândida Pinto, a enviada especial da SIC, está em Londres e fez um retrato do ambiente nas ruas da capital britânica, depois de conhecida a vitória do "sair" no referendo da permanência do Reino Unido na União Europeia.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.