sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit

Reino Unido sai da UE e Cameron demite-se

Em atualização

O primeiro-ministro britânico anunciou esta manhã ao país que deverá ser outro chefe de Governo a assumir as rédeas do Reino Unido. David Cameron dá um prazo de três meses, um período de transição após o qual sairá do Executivo britânico. Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido vai sair a União Europeia, depois de o Brexit ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira, segundo os resultados finais. O referendo no Reino Unido pode vir a ter consequências na própria composição do país. Por sua vez, o presidente do Conselho Europeu garante que a União Europeia vai manter-se unida com 27 estados-membros.

© Phil Noble / Reuters

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO ÀS 10:31

David Cameron anunciou a intenção de se demitir em outubro, numa declaração à imprensa na qual afirmou que, depois da vitória do Brexit o país precisa de uma nova liderança.

"Os britânicos tomaram uma decisão clara [...] e penso que o país precisa de um novo líder para tomar essa direção", disse David Cameron, que fez campanha pela permanência do Reino Unido na UE.

"Penso que não estaria certo eu tentar dirigir o país para o seu novo destino. Penso que o correto é que esse novo primeiro-ministro acione o artigo 50.º", acrescentou.

Cameron referia-se ao artigo do Tratado de Lisboa que afirma que "qualquer Estado-Membro pode decidir, em conformidade com as respetivas normas constitucionais, retirar-se da União".

Os defensores da saída do Reino Unido do bloco europeu tiveram 17,41 milhões de votos, indicam os dados divulgados no site da televisão britânica BBC após ter terminado o apuramento em todos os 382 círculos eleitorais.

Já os partidários da permanência do Reino Unido na União Europeia obtiveram 16,14 milhões de votos.

A taxa de participação no referendo foi de 72,2%.

Efeito de contágio da vitória do Brexit

Vários políticos de outros estados-membros exigem referendos. Em França, Marine Le Pen promete um referendo se for eleita presidente nas eleições do próximo ano.

Em Itália, o partido populista que ganhou terreno nas recentes eleições autárquicas, o "Movimento 5 Estrelas" diz que pretende convocar um referendo sobre a moeda única. O partido quer a criação de um euro para os países ricos e outro euro para os países pobres.

Também na Dinamarca e na Holanda existem vários movimentos a exigir a realização de referendos à permanência na União Europeia.

A Turquia pondera levar os eleitores às urnas para decidirem se querem ou não seguir em frente com o processo de adesão à Europa dos 28.

Banco de Inglaterra vai tomar "todas as medidas necessárias"

O Banco de Inglaterra vai tomar "todas as medidas necessárias" para garantir a estabilidade, após a decisão do Reino Unido de sair da União Europeia.

"O Banco da Inglaterra vai tomar todas as medidas necessárias para cumprir com a sua responsabilidade em termos de estabilidade monetária e financeira", disse hoje o banco central, em comunicado, acrescentando que está a monitorizar de perto os desenvolvimentos após o referendo.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.