sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit

Saída do Reino Unido da UE sem impacto na estratégia da easyJet

A companhia aérea de baixo custo britânica easyJet considerou hoje que a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) decidida em referendo não terá impacto material na estratégia ou capacidade da empresa.

© Srdjan Zivulovic / Reuters

"Continuamos confiantes na força do modelo de negócio da easyJet e na nossa capacidade de manter a nossa estratégia de sucesso e o retorno", referiu a presidente executiva da empresa, Carolyn McCall, citada numa nota enviada hoje.

Segundo a responsável, a empresa escreveu hoje ao Governo do Reino Unido e à Comissão Europeia a solicitar "que considerem como prioritária a manutenção do Reino Unido no mercado de aviação único da União Europeia, tendo em conta a sua importância para a economia e consumidores".

A easyJet refere que tem vindo a preparar-se para esta eventualidade e a trabalhar numa diversidade de opções que lhe vai permitir continuar a operar para todos os seus mercados.

O principal enfoque da easyJet será agora o de acelerar as discussões com os governos do Reino Unido, da União Europeia e reguladores, para assegurar que o Reino Unido se mantém no mercado único da aviação da União Europeia.

"Isto irá permitir que as companhias aéreas da União Europeia voem livremente dentro do espaço aéreo do Reino Unido e entre o Reino Unido e a União Europeia; que as companhias aéreas do Reino Unido possam voar livremente pela Europa e irá assegurar que os consumidores continuem a beneficiar de baixas tarifas e que a easyJet, e outras companhias aéreas continuem a operar como operam hoje", lê-se ainda no documento.

A easyJet assegura também que irá continuar a trabalhar em opções alternativas que permitam manter a rede e operação atuais.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido vai sair a União Europeia, depois de o Brexit ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira, cuja taxa de participação foi de 72,2%.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou já a intenção de se demitir em outubro, na sequência deste resultado.

As principais bolsas europeias abriram hoje em forte queda, com a bolsa de Londres a descer perto dos 8%.


Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15