sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit

Cameron garante que Reino Unido não vai virar as costas à Europa

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, disse hoje no parlamento que, apesar da saída do país da União Europeia (UE) não vai virar as costas à Europa.

© Peter Nicholls / Reuters

Naquela que foi a sua primeira declaração na Câmara dos Comuns sobre o referendo de quinta-feira, que deu a vitória ao 'Brexit', Cameron reconheceu que a decisão "soberana" do povo tem de ser respeitada, apesar das negociações se preverem "complexas" e "difíceis".

Cameron aproveitou ainda a oportunidade para tranquilizar os cidadãos e dizer que as circunstâncias não vão mudar de forma imediata.

"Temos de determinar o tipo de relação que queremos com a UE", disse Cameron, acrescentando que a decisão vai caber ao seu sucessor, a partir de outubro.

O conselho de ministros aprovou hoje a criação de uma nova unidade governativa no Reino Unido, para assessorar as negociações necessárias ao 'Brexit' junto de Bruxelas.

Para já, o Reino Unido não vai ativar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, que estabeleceu o processo de negociação para a saída voluntária de um Estado-Membro da UE, indicou.

Rejeitando um referendo sobre a independência da Escócia, Cameron indicou que Londres vai tomar em conta as opiniões das várias partes constituintes do reino -- Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte -, consultando e protegendo os seus interesses.

Para o primeiro-ministro britânico, a força da economia nacional vai manter-se com inflação baixa e diminuição do desemprego, o que, segundo ele vai ajudar a resistir às dificuldades que possam surgir da decisão saída do referendo.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido deve sair da UE, depois de o 'Brexit' (nome como ficou conhecida a saída britânica da União Europeia) ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira.

Logo na sexta-feira, David Cameron anunciou a sua demissão, com efeitos em outubro, e os líderes da UE defenderam uma saída rápida do Reino Unido.

O Conselho Europeu reúne-se na terça e quarta-feira em Bruxelas para analisar os cenários pós-'Brexit'.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".