sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Brexit domina hoje reunião dos líderes dos ainda 28

A discussão sobre a vitória da opção saída do Reino Unido da União Europeia (UE) no referendo de quinta-feira começará a dominar formalmente a agenda de hoje dos líderes europeus, em Bruxelas, a partir do jantar.

© Neil Hall / Reuters

Ainda a 28, a cimeira de chefes de Estado e do Governo começa pelas 16:00 locais (15:00 em Lisboa), com o programa oficial a garantir que, até ao jantar, o 'Brexit' estará de fora dos trabalhos.

Inicialmente decorrerão apresentações pelo secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, sobre relações UE/NATO, do presidente do Banco Europeu de Investimento, Werner Hoyer, sobre vizinhos do sul e dos Balcãs, estando ainda tópicos relacionados com migração, trabalho, crescimento, competitividade e relações externas.

Ao jantar, os líderes esperam ouvir do primeiro-ministro britânico, David Cameron, planos sobre o denominado processo de divórcio, como a data para espoletar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, sobre a saída de um Estado-membro, objetivos para acordos futuros.

Na discussão também surgirá a questão do "negociador" britânico, uma vez que Cameron anunciou a sua demissão em outubro, assim como a intenção da Escócia em avançar com um novo referendo sobre a sua independência para garantir que continua na UE.

Portugal estará representado pelo primeiro-ministro, António Costa, que numa reação ao resultado da votação afirmou ser "um dia triste para Europa", mas também uma oportunidade para os 27 países da UE refletirem sobre a resposta a dar aos "anseios dos cidadãos da Europa".

Os eleitores britânicos decidiram pela saída do Reino Unido da UE, com esta opção a conquistar 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira.

Os líderes europeus anunciaram que pretendem um 'divórcio' do Reino Unido o mais rapidamente possível "por muito doloroso que seja o processo", num comunicado conjunto dos presidentes da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, do Conselho Europeu, Donald Tusk, do Parlamento Europeu, Martin Schulz, e da presidência rotativa holandesa da UE, Mark Rutter.

Lusa

  • Bruxelas diz que só analisará aplicação de sanções a Portugal e Espanha em julho

    Economia

    Bruxelas diz que ainda não tomou uma decisão sobre a aplicação de sanções a Portugal e Espanha. Em resposta à SIC, uma porta-voz da Comissão diz que o Colégio de Comissários só volta a analisar o caso português e espanhol no início de julho e que ainda não tomou qualquer decisão. Segundo fontes comunitárias, o tema das sanções não está na agenda da reunião que decorre hoje em Bruxelas e em que estão em discussão as consequências do Brexit. De acordo com o jornal "Le Monde", Bruxelas estará a considerar aplicar sanções ao país por ter falhado as metas do défice.

  • Um quinto das empresas britânicas pensa deslocar parte da atividade para outro país

    Brexit

    Um quinto dos administradores de empresas britânicas pensa deslocar parte da atividade para outro país, em consequência da decisão de saída da União Europeia. Uma sondagem feita pelo instituto dos diretores, Federação Britânica dos Dirigentes de Empresas, revela que 64% dos administradores de empresas pensam que o Brexit vai ser negativo para a atividade a que estão ligados, 24% prevê o congelamento dos contratos e 22% está a pensar deslocar algumas operações.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35

    País

    A data para as próximas eleições autárquicas já gerou consenso. 1 de outubro é a data pedida pelos vários partidos ouvidos esta segunda-feira por António Costa. Na próxima quinta-feira, no Conselho de Ministros, o dia de ir às urnas vai ser escolhido.