sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Hollande diz que saída da Reino Unido da UE não muda acordo de migração no Canal da Mancha

O Presidente francês, François Hollande, assegurou hoje que a saída do Reino Unido da União Europeia não altera o acordo para impedir migrantes de atravessar o Canal da Mancha, muitos dos quais se encontram em campos em Calais, França.

François Hollande, Presidente da França

François Hollande, Presidente da França

© POOL New / Reuters

"Trazer a lume o acordo Touquet sob o pretexto de que o Reino Unido votou para sair da UE e terá de iniciar negociações para abandonar a união não faz sentido", disse Hollande após uma cimeira pós-'brexit' em Bruxelas.

O chefe de Estado francês defendeu, por outro lado, que a City de Londres deverá deixar de realizar transações em euros, em consequência do 'brexit', e exortou as praças financeiras europeias a prepararem-se para o impacto.

"Sabemos que não há qualquer razão para a Europa, e ainda menos para a zona euro, permitir a um país que já não é membro da União, e que nunca foi membro da zona euro, continuar a fazer operações em euros", comentou.

"Não é possível (o Reino Unido) manter as suas vantagens adquiridas, o que, para liberais, não é fácil de admitir", ironizou, no final da cimeira.

Hollande disse que o que deseja "é que as praças financeiras europeias (...) se preparem para garantir um determinado número de operações que já não poderão ser feitas no Reino Unido".

A City de Londres, o centro financeiro da capital britânica, é atualmente a capital financeira da Europa, onde estão sediados muitos bancos europeus e americanos.

No entanto, contrapôs o Presidente francês, "tudo isto também não deverá fazer-se com ruturas, vinganças ou desprezo, ou sem considerar os interesses económicos da União Europeia e do Reino Unido", já que "o que conta é que a economia possa funcionar".

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Hotel inovador na Madeira
    2:23

    Economia

    O grupo Pestana está a construir no Funchal, um novo e único hotel, através de uma técnica inovadora que quase não utiliza cimento. Este vai ser o primeiro hotel do mundo construído com um sistema modular desenvolvido em Portugal. O hotel vai ter 77 quartos e vai ficar construído em apenas seis meses. O maior grupo hoteleiro português admite recorrer a este novo sistema em futuros hotéis.

  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.