sicnot

Perfil

Brexit

Brexit

Brexit

Vodafone poderá deixar a sede em Londres

A operadora de telecomunicações Vodafone alertou hoje que poderá deixar a sua sede em Londres, dependendo do resultado das negociações sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

(Reuters/Arquivo)

Em comunicado, a empresa afirma defender o acesso "ao movimento livre de pessoas, capital e mercadorias" porque estes fatores ajudaram a impulsionar o crescimento da empresa.

A Vodafone, que emprega 13.000 pessoas no Reino Unido, acrescentou ser ainda prematuro chegar a uma "conclusão firme" sobre o lugar definitivo da sua sede, referindo que tudo dependerá das negociações.

No último ano fiscal, 55% do lucro da empresa teve origem nas operações europeias (11% no Reino Unido).

A Vodafone é uma das empresas mais importantes do índice principal da Bolsa de Londres, o FTSE-100, empregando cerca de 108.000 pessoas fora do Reino Unido.

A advertência da Vodafone sobre o futuro da empresa ocorre depois do Reino Unido ter votado a favor da saída da União Europeia.

Para iniciar a separação, o Reino Unido terá que invocar o artigo 50 do Tratado de Lisboa, que estabelece um período de dois anos para iniciar as negociações sobre os termos da nova relação entre as duas partes.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras