sicnot

Perfil

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit / Eleições no Reino Unido

Brexit

Bolsas mundiais acumulam fortes ganhos na 1ª semana após referendo no Reino Unido

As principais bolsas do mundo fecharam a primeira semana pós-'brexit' em alta, acumulando ganhos significativos nas últimas quatro sessões, mais do que suficientes para compensar as fortes quedas nas duas primeiras sessões após o referendo no Reino Unido.

© Jon Nazca / Reuters

Depois de os britânicos terem, a 23 de junho, votado maioritariamente a favor da saída do Reino Unido da União Europeia, a reação nos mercados foi imediata, com perdas significativas nas sessões de dia 24 de junho (sexta-feira) e de 27 de junho (segunda-feira).

Porém, após o 'choque' inicial, seguiu-se um movimento generalizado de correção nos mercados mundiais de referência nas últimas quatro sessões que permitiu que as praças europeias, norte-americanas e asiáticas, com o Japão à cabeça, fechassem esta semana com ganhos assinaláveis.

O principal índice inglês, o FTSE 100, cresceu 3,61% desde o 'brexit' e negoceia nos 6.577,83 pontos. A tendência positiva estendeu-se às outras praças europeias de referência: Madrid (6,18%), Paris (4,07%), Milão (3,64%) e Frankfurt (2,29%).

Também o índice de referência da bolsa portuguesa (PSI20) esteve em linha e acumulou ganhos de 2,95% durante o período em análise.

De resto, o índice Euro Stoxx 50, que é composto pelas 50 cotadas mais significativas da zona euro, somou 3,85% entre as sessões de 24 de junho e de hoje.

Nos Estados Unidos, o ganho acumulado desde o 'brexit' ascendeu aos 2,86%, levando em linha de conta o índice S&P 500, que reúne as maiores capitalizações de Wall Street.

Na Ásia, o índice Nikkei 225, o mais representativo da bolsa do Japão, cresceu 4,35%. Já o índice CSI 300, que engloba as principais cotadas nas bolsas chinesas de Xangai e de Shenzhen, ganhou 1,66%.

Das praças de referência asiáticas, apenas o principal índice de Hong Kong, o Hang Seng, contrariou as subidas dos seus pares a nível global e fechou a semana com uma perda acumulada de 0,57%.

Desde o 'brexit', a bolsa de Lusaka (Zâmbia) teve o melhor desempenho (11,45%), seguida pelo Brasil (9,35%) e Argentina (6,77%).

No lado oposto estão os mercados da Venezuela (-4,11%), da Nigéria (-3,06%) e da Suécia (-2,52%).

Lusa

  • As primeiras reações à morte de Chester Bennington

    Cultura

    Chester Bennington, vocalista da banda de metal alternativo Linkin Park, morreu esta quinta-feira em casa em Palos Verdes Estates, no estado da Califórnia, nos EUA. Várias celebridades já reagiram à morte do músico de 41 anos. Segundo o TMZ, o cantor da banda norte-americana suicidou-se.

  • O perfil do novo herói do surf português
    3:43
  • O que resta do navio de salvamento mais famoso de Portugal?
    15:26
  • O. J. Simpson vai sair em liberdade condicional

    Mundo

    A antiga estrela de futebol americano O. J. Simpson vai sair em liberdade condicional, depois de ter cumprido nove anos de prisão num estabelecimento prisional do estado do Nevada, nos Estados Unidos.

  • Filho do leão Cecil também foi abatido por um caçador

    Mundo

    Xanda pode ter tido o mesmo fim que o seu pai, o leão Cecil, que em 2015 foi abatido por um caçador, no Zimbabué. Na altura, a morte de Cecil tomou proporções inéditas, chegando uma imagem do leão a ser projetada na fachada do Empire State Building. Agora, Xanda terá sido abatido a tiro por um caçador de troféus.