sicnot

Perfil

Brexit

"Brexit não pode ser cancelado ou adiado"

"Brexit não pode ser cancelado ou adiado"

O Presidente francês voltou hoje a afirmar que o Brexit não pode ser cancelado ou adiado. O novo alerta de François Hollande foi feito em França, depois de um encontro com o primeiro-ministro britânico demissionário, David Cameron.

"A decisão foi tomada, não pode ser adiada e não pode ser cancelada, agora vão ter de enfrentar as consequências", disse Hollande aos repórteres à margem das cerimónias do centenário da batalha de Somme, no norte de França.

"Estar na União Europeia (UE) tem vantagens" disse.

"E isso... é o que os britânicos estão a começar a perceber. Aqueles que estavam tentados com o 'Brexit' estão agora a começar a repensar o assunto", continuou o Presidente francês.

Hollande disse que um 'Brexit' rápido "evitaria todas as incertezas e instabilidade, especialmente nos domínios económico e financeiro. Quanto mais rápido acontecer, melhor para eles".

O Presidente francês acrescentou que, uma vez recebida a indicação do próximo primeiro-ministro britânico que vai substituir Cameron -- que anunciou a sua vontade de se demitir -- vai iniciar-se uma fase de negociações nunca superior a dois anos.

Mais tarde, "dar-se-á um estatuto ao Reino Unido, que não continuará na UE, mas que poderá, com certas condições a serem negociadas, continuar vinculado ao mercado único", explicou.

Quanto às cerimónias de hoje, estava previsto que seria o primeiro-ministro Manuel Valls a representar a França, mas na sequência do referendo que ditou a saída do Reino Unidos da UE - faz hoje uma semana -- Hollande decidiu que seria ele a representar o Estado francês.

Para além de Cameron, também se deslocaram a Thiepval, onde se encontra o memorial da batalha de Somme, vários membros da família real britânica.

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.